Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Na onda antichinesa capitaneada por Donald Trump, o Reino Unido do primeiro-ministro Boris Johnson também bloqueou a Huawei de implementar tecnologias 5G no país. Mas agora, sentindo uma virada após a derrota de Donald Trump nas eleições presidenciais dos Estados Unidos, a empresa pretende reverter essa política.

Em entrevista para o jornal The Guardian, o vice-presidente da Huawei, Victor Zhang disse que a proibição da Huawei atrasaria o Reino Unido na adoção do 5G e pioraria a divisão econômica entre o norte e o sul do país. “A decisão terá um enorme impacto econômico no Reino Unido. Os países do bloco querem ver um equilíbrio de investimento entre Londres, o sudeste, Midlands e o norte da Inglaterra. A conectividade de classe mundial é crucial para esse objetivo e, sem ela, é muito difícil fechar a lacuna no desequilíbrio econômico no Reino Unido”, explicou.

publicidade

Sobre as consequências do banimento, Zhang ainda completa. “O próprio governo disse que isso levará a um atraso de três anos na implementação do 5G, e isso terá um enorme impacto econômico. Muitas pessoas se surpreendem com a escala do impacto desse atraso. Uma pesquisa de terceiros realizada pela Assembly, uma empresa de pesquisa independente, mostra que esse atraso terá um impacto de £ 18,2 bilhões”, disse.

Fim da guerra comercial?

De acordo com as informações divulgadas pelo jornal, a proibição dos produtos da Huawei no Reino Unido teve muita influência da política adotada pelos Estados Unidos. A marca espera conseguir começar a reverter a situação com a troca de comando no país. No entanto, a política que será adotada por Joe Biden ainda é desconhecida.

A chinesa vem travando uma grande batalha judicial contra os EUA. Diversas empresas norte-americanas colocaram restrições. Incluindo o Google, que limitou os serviços do Android nos aparelhos da marca.

Fora isso, existe ainda uma disputa pelo controle da rede 5G. A Huawei é acusada pelos EUA de espionar países do ocidente a serviço do governo chinês. Pressões da Casa Branca já fizeram com que a companhia fosse barrada do 5G em países da Europa, como França e Reino Unido.

publicidade

Via AndroidCentral