Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Um app para monitorar a distância pacientes com câncer acaba de ter um projeto aprovado pelo Programa Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) de Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE). A ferramenta teve uma primeira versão lançada em 2017 pela startup WeCancer e contou com grande adesão de hospitais, com mais de 2,5 mil usuários e média de 800 atendimentos por mês.

Com a aprovação da Fapesp, a empresa terá o objetivo de desenvolver uma modelagem preventiva em relação às hospitalizações, agregando ao app tecnologias de inteligência artificial e machine learning. Assim, possibilitando o aumento do impacto da ferramenta no Sistema Único de Saúde (SUS), evitando hospitalizações desnecessárias e reduzindo custos de tratamento.

publicidade
Como funciona o app

Os pacientes com câncer recebem dos hospitais acesso ao app para inserirem dados pelo celular, que são monitorados a distância pelos profissionais a partir de um dashboard. O perfil de cada paciente no app possui dados pessoais, medicamentos em uso e atividades cotidianas. Os indicadores de saúde física e psicoemocional são transformados em gráficos acessados pelo médico, que acompanha o quadro clínico e a evolução do paciente durante o tratamento.

três telas do app para monitorar pacientes com câncer ilustrando o funcionamento

Divulgação/WeCancer

César Filho, cofundador e CEO da empresa, explica que a plataforma oferece uma área de gerenciamento de sintomas e outra de organização das jornadas de tratamento. Há também uma área com conteúdo informativo e um chat, por meio do qual o paciente com câncer consegue interagir diretamente com a equipe de enfermagem.

Para os pacientes, o app é gratuito, sendo encontrado para Android e também em iOS. Aos hospitais, a empresa licencia o software e a equipe hospitalar pode fazer uso dele como canal de relacionamento com o paciente, ou pode escolher terceirizar o serviço de atenção, usando uma equipe própria da WeCancer. Além do modelo de negócios com foco em hospitais, a empresa também tem uma vertente voltada para a indústria farmacêutica, em que são operacionalizados atendimentos especializados, envolvendo imunoterapia, por exemplo.

Entre as instituições que já fazem uso da plataforma WeCancer estão os hospitais Israelita Albert Einstein, Beneficência Portuguesa, Municipal Vila Santa Catarina e o Instituto de Oncologia do Paraná. Na unidade de negócios com foco na indústria farmacêutica, o aplicativo também é usado pela Roche e pela AstraZeneca.

publicidade

Via Governo de São Paulo