Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Em 2019, a Apple cancelou o AirPower, quase dois anos depois do seu anúncio, no lançamento da linha iPhone X, em setembro de 2017. Tim Cook se antecipou mais do que deveria, e acabou prometendo algo que a empresa não poderia entregar. Usando dezenas de bobinas de cobre, o dispositivo conseguiria recarregar iPhone, Apple Watch, e fones deixados em sua superfície.

A Apple suou, mas seus engenheiros não conseguiram viabilizar o AirPower. Problemas de superaquecimento surgiram durante o desenvolvimento, e o projeto acabou sendo definitivamente abandonado. Mas um fiel usuário da marca conseguiu resgatar um protótipo do carregador sem fio — revirando sucata.

publicidade
Imagem do protótipo do Apple AirPower

Reprodução: The Verge

Do lixo eletrônico

Giulio Zompetti conseguiu, através de um depósito de lixo eletrônico chinês, obter uma unidade de testes do AirPower. O visual é bem rústico, já que àquela altura a empresa não se preocupava, ainda, com o design final, e sim em fazer o dispositivo funcionar. O acessório da Apple não podia se comunicar com um smartphone pelo cabo Lightning convencional, exigindo um específico para ajustes via código em um computador interligado.

publicidade

Mesmo assim, o AirPower só conseguiu fornecer energia a um smartphone de testes da Apple. O que o usuário curioso descobriu é que a cuia de recarga é ativada pelo iPhone, e não o contrário. Assim, modelos comerciais não funcionaram — já que a empresa deve ter desistido dessa implementação quando viu que o produto não ganharia lançamento.

O cancelado AirPower da Apple

Outro ponto da experiência é que, segundo o usuário, nem celular, nem AirPower superaqueceram. Isto, porém, não significa muita coisa: não é possível verificar quais são os protocolos da Apple, e em que tipo de uso o dispositivo começou a revelar seus defeitos.

Apostando forte na tecnologia MagSafe, a Apple dificilmente deve ressuscitar o AirPower. Um próximo passo da empresa poderia ser a adoção de recarga reversa nos iPhones, que apesar de estar presente no iPhone 12, não é usada na prática, a não ser na nova bateria MagSafe, um power bank que usa a tecnologia de carregamento magnético da empresa. Se a recarga reversa for suportada de forma mais ampla, isso será uma ótima notícia para os usuários dos vestíveis da Apple, como relógios e fones de ouvido.

Via The Verge