Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

A Apple segue firme em sua caçada contra os vazadores de informação e, nesta quinta-feira (29/07) resolveu colocar a polícia no assunto para pressionar um leaker em busca de respostas. A empresa enviou uma carta de intimação a um cidadão chinês que, segundo a Apple, “anunciava protótipos roubados de iPhone nas redes sociais”.

O escritório de advocacia Fangda Partners, representante da Apple para assuntos jurídicos na China, também acusou o cidadão de divulgar, em primeira mão, informações sobre produtos não lançados, o que constitui a principal tarefa do chamado leaker, ou insider. O modo de pressão incluiu a ameaça de prisão ao vazador, a menos que ele revele suas fontes.

publicidade

“Você divulgou sem autorização uma grande quantidade de informações relacionadas aos produtos não lançados e rumores da Apple, o que constituiu uma violação deliberada dos segredos comerciais da Apple. Sua infração intencional se manifesta especificamente como: publicação de informações não publicadas sobre os novos produtos da Apple por meio de plataformas de mídia social, incluindo, mas não se limitando ao design e desempenho desses novos produtos”.

Caçada aos leakers

O leaker intimado pela Apple desta vez tem uma conta identificada no Twitter como JinStore (@JinStore), mas ele não foi o primeiro a ser ameaçado pela Apple na Justiça. Desde 2019 a empresa vem procurando meios de pressionar os insiders e, com isso, preservar o vazamento de informações privilegiadas.

Dois leakers que desativaram a conta no Twitter, e que eram identificados como White e Single, comentaram à reportagem da Vice que o conteúdo das cartas recebidas era similar ao atual. “Eles querem saber como as informações vazaram e como os itens vazados na cadeia de suprimentos foram vendidos para certas pessoas”, simplificou um deles.

Vale lembrar que, recentemente, a Apple obrigou os trabalhadores de suas instalações na China a adotar o uso de câmeras corporais, similares às disponibilizadas para a polícia dos Estados Unidos, para coibir os vazamentos. Ironicamente, tal atitude também acabou vazando para a imprensa, mais especificamente para o site Front Page.

publicidade

Via Vice

Imagem: Pexels/Pixabay/CC