Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Se há alguns anos era tabu uma rede social sugerir sua monetização direta, as empresas do setor precisaram acelerar discussões nesse sentido para reter verdadeiros captadores de audiência. No Twitter, criadores de conteúdo podem monetizar Spaces. No Instagram, poderão vender stories. Twitch, Clubhouse, TikTok e outras já oferecem canais monetizáveis também. E o YouTube está aprimorando os seus, com o lançamento do Super Thanks.

Este é um recurso que chega pouco após as novas ferramentas para criadores de conteúdo do streaming do Google. O Super Thanks do YouTube lembra o comentário destacado com cores nas lives — mas agora disponível para qualquer vídeo. Ele é acessível pela mesma linha dos botões de curtir, “descurtir”, e de compartilhamento. Isto pode aumentar as chances de um inscrito ter seu comentário respondido.

publicidade
Valeu Demais!

Por enquanto o Super Thanks está disponível para um grupo restrito de criadores em regiões selecionadas. O Brasil faz parte dos testes, e por aqui a função receberá o nome de “Valeu Demais”. Enquanto é uma incógnita quais serão as faixas de pagamento no mercado nacional, sabe-se que nos Estados Unidos os valores são de US$ 2, US$ 5, US$ 10, e US$ 50.

Arte do YouTube para divulgar o Super Thanks, com um criador de conteúdo negro em uma interface de vídeo

De acordo com o YouTube, alguns influencers já estavam tendo acesso à ferramenta. Isto ajudou a empresa a divulgar números atrativos para reter sua comunidade de criadores de conteúdo: alguns, como o canal Nicholas Ashbaugh, já possuem o Super Thanks como responsável por 15% das receitas.

Sem especificar uma data para liberar o Super Thanks / Valeu Demais para todos os parceiros do programa de monetização, o YouTube se limitou a informar que o fará “ainda este ano”. Vale lembrar que outro caminho do serviço para competir com apps rivais é o Shorts. É a solução do Google para formatos curtos de vídeos virais.

publicidade

Via Business Insider e Olhar Digital