Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Nesta semana, está ocorrendo o simpósio Nano Korea 2021, evento em que diversas empresas ligadas à indústria discutem inovações no campo da tecnologia. Entre os participantes está a Samsung, que respondeu perguntas sobre o futuro de seus aparelhos e comentou que está investindo em nanotecnologia para as lentes de seus produtos, bem como para componentes internos.

Lee Shi-woo, vice-presidente da Samsung e diretor do instituto de pesquisa e desenvolvimento da fabricante, foi quem esteve representando a sul-coreana no evento. O executivo comentou que uma das próximas inovações que a marca pode ter em seus aparelhos são metalentes (do prefixo meta, “além”), recurso que pode aprimorar as câmeras dos smartphones.

publicidade
Lentes absurdamente pequenas

Para entender um pouco sobre o que são as metalentes e seu impacto nas câmeras de celulares, primeiro é preciso compreender o que elas são parte dos metamateriais. Esses materiais são produtos artificiais de nanotecnologia que têm o tamanho menor que o comprimento de onda de luz e devido ao seu tamanho e espessura reduzidos, chegam a ser chamados de 2D.

As metalentes são lentes produzidas nessa escala minúscula chamada sub-onda. Elas são planas, mas garantem o mesmo efeito de refração da luz que as lentes mais robustas e curvas. Essa nanotecnologia, portanto, está sendo pesquisada pela Samsung para que possa produzir celulares mais finos, sem perder a qualidade de suas lentes. As lentes são, afinal, a razão para as deselegantes lombadas na traseira que quase todo celular moderno tem, inclusive os da Samsung.

Enquanto as metalentes não chegam ao mercado, fato que pode demorar a ocorrer, algumas fabricantes já estão investindo em outra tecnologia para reduzir suas lentes e garantir a qualidade de imagem. Chamada de fotografia biônica ou lentes líquidas, o recurso pode ser implementado pela Xiaomi em seu Mi Mix 4 (sendo o primeiro celular a ser lançado com a tal ferramenta)

Trata-se de uma grade óptica fluida que utiliza um líquido dentro capaz de modelar sua curvatura para ajustar o foco de forma mais rápida que as lentes mecânicas. O mecanismo funciona de forma bastante similar ao do olho humano, por isso é chamado de fotografia biônica. Para entender um pouco mais sobre como essa a lente líquida funciona, basta conferir o vídeo divulgado pelo CEO da Xiaomi neste link.

publicidade

Via The Elec

Imagem: REDPIXEL.PL/Shutterstock