Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

O Facebook anunciou nesta quarta-feira (30/6) a criação de uma plataforma de segurança para mulheres ao redor do mundo. O projeto busca promover ações de conscientização para gerar  ambientes menos hostis para as usuárias de suas redes sociais. É resultado de uma parceria com a ONU em comemoração ao Fórum de Geração de Igualdade, que acontece nesta semana em Paris, na França.

A plataforma de segurança para mulheres contará com ações de debate com especialistas acadêmicos para o desenvolvimento de políticas e programas que facilitem a vida das mulheres que usam os seus aplicativos como o Facebook e o Instagram. O objetivo é tornar as plataformas em ambientes seguros, evitando o assédio e a perseguição contra as usuárias. Ainda de acordo com a rede social, além dos especialistas, a plataforma contará com materiais feitos com a participação de jornalistas, ativistas sociais e mulheres que sofreram abusos online e offline.

publicidade
Filtros de proteção

No blog oficial da rede social, a líder de planejamento de medidas de segurança às mulheres no Facebook, Cindy Southworth, explicou que as ações de conscientização são apenas uma das medidas tomadas para a criação de um ambiente de proteção para as mulheres. A plataforma também contará com vídeos institucionais que explicam às usuárias como utilizar a tecnologia de detecção proativa de conteúdo, bloqueando automaticamente mensagens e publicações consideradas ofensivas.

De acordo com a executiva, um ótimo exemplo desta tecnologia está na função de palavras escondidas do Instagram que permite que as pessoas filtrem mensagens potencialmente ofensivas de sua timeline.

“Temos tecnologia sofisticada para combater o compartilhamento de imagens íntimas não consensuais e desenvolvemos uma variedade de recursos para ajudar a garantir que todas as mulheres se sintam seguras ao usar nossa plataforma. Graças ao feedback dos usuários e aos especialistas que consultamos, estamos constantemente avaliando a eficácia de nossas ferramentas e buscando novas opções para capacitar as mulheres online”, comentou.

O centro de proteção às mulheres do Facebook já está ativo e pode ser acessado em sua versão em inglês. De acordo com a rede social, nos próximos meses, os conteúdos dispostos na plataforma serão traduzidos para mais de 55 línguas, incluindo o português.

publicidade

Imagem: Facebook