Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

O fundador e CEO da SpaceX, Elon Musk, declarou nesta terça-feira (29/06) na MWC 2021, em Barcelona que seu serviço de banda larga via satélite Stalink pode ajudar as operadoras de telefonia na ampliação dos seus produtos. De acordo com o empresário, há pelo menos duas negociações em andamento com grandes operadoras para testarem o serviço por satélite.

Durante a conversa na qual ele fez essa revelação, Elon Musk explicou que a conexão via satélite ajuda as operadoras a atingirem áreas de difícil acesso para antenas, como terrenos ermos e zonas rurais. De acordo com o empresário, atualmente, as conexões rurais são um dos segmentos mais difíceis de se atender por uma operadora, compreendendo 3% a 5% da base de usuários.

publicidade

Assim, a Starlink pode servir como um complemento às operadoras, preenchendo as lacunas entre 5G e fibra para estes clientes.

Projeção de crescimento

Elon Musk ainda explicou que as conexões da Starlink estão aptas para funcionar em qualquer lugar do mundo, exceto nos polos Norte e Sul. A expectativa do empresário é que, por meio de da ajuda de outras operadoras, o serviço passe a atender meio milhão de usuários ao redor do mundo em até 12 meses.

O que é a Starlink

A Starlink é um serviço de internet via satélite. Usando os foguetes da co-irmã SpaceX, empresa de sistemas aeroespaciais e transporte espacial criada por Musk, o empresário conseguiu lançar em órbita centenas de satélites para mapear o globo com capacidade de fornecer conexões de alta velocidade sem fio aos usuários.

Atualmente o serviço está em fase beta em 12 países. De acordo com Elon Musk, a distância dos satélites é inferior à de outros dispositivos do gênero, como os satélites de televisão, por exemplo, o que permite uma conexão de baixa latência aos usuários. Ele ainda disse que a latência (velocidade de conexão) do serviço deve diminuir ainda mais conforme novos satélites forem impulsionados aos céus.

publicidade
Starlink opera no prejuízo, revela Musk

Apesar das afirmações, Elon Musk brincou que conta com a ajuda de outras operadoras para que a Starlink não vá à falência. Ele estima que o serviço de internet via satélite deve totalizar a casa dos US$ 10 bilhões (R$ 50 bilhões) de custos antes de a operação ter fluxo de caixa positivo e que os números podem chegar em até US$ 30 bilhões (R$ 150 bi) se somados aos outros projetos da SpaceX.

Elon Musk também explicou que o custo de cada usuário para a Starlink é de aproximadamente mil dólares (R$ 5 mil), enquanto o serviço é comercializado por US$ 500 (R$ 2500), um desequilíbrio que sua equipe está trabalhando para ajudar com equipamentos menos caros e com a ajuda de outras operadoras.

Via Mobile World Live

Imagem: Daniel Oberhaus/WikiMedia