Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

O Google afirmou hoje (24/06), em seu blog, que pretende acabar com os chamados cookies de terceiros no Google Chrome até 2023. A iniciativa é parte do programa Privacy Sandbox, que pretende melhorar a privacidade e a segurança no uso da internet e estava prevista desde seu anúncio, em 2019.

Embora a proposta de “tornar os cookies obsoletos” já fosse conhecida, ainda não tínhamos uma data ou um calendário de quando as mudanças se efetivariam. E a demora, segundo a empresa, é justificada. A dificuldade se deve ao “ecossistema” da internet, nas palavras dela. Com isso, ela provavelmente se refere principalmente ao tempo necessário até que os anunciantes e os desenvolvedores se acostumem com as novidades.

publicidade

Além da remoção dos cookies, o Google pontuou que quatro outras propostas para tornar a internet mais segura, de um total de 30, já estão em fase de testes. Mas antes que tudo isso aconteça, o Google quer se certificar de que algumas tecnologias essenciais para o prosseguimento do plano estejam estabelecidas.

Assim, a primeira fase do cronograma está planejada para ocorrer no fim de 2022, com duração de nove meses. Na segunda fase, com previsão de início em meados de 2023, o Google finalmente encerraria o suporte do Chrome a cookies de terceiros. E tudo isso, segundo a empresa, levaria somente três meses.

Disputa pode adiar o “fim dos cookies” no Chrome

A má notícia é que apesar dessa relativa rapidez, o sucesso desse cronograma não depende exclusivamente do Google. Isso porque o cronograma precisa ser aprovado pela Autoridade de Concorrência e Mercados (CMA) do Reino Unido, agência reguladora britânica que se encontra atualmente em disputa com o Google. Para o órgão do Reino Unido, a substituição dos cookies pelos FloCs, também parte da Privacy Sandbox e algo essencial para a realização da primeira fase do planejamento, representaria uma manobra monopolizadora.

Assim, é possível que todo o planejamento do Google vá por água abaixo, no caso da empresa e da CMA não conseguirem entrar em acordo até julho, data em que as investigações da agência serão concluídas. De qualquer jeito, o Google afirmou que vai manter todos atualizados através do site oficial da Privacy Sandbox e do seu próprio blog.

publicidade

Via 9to5Google

Imagem: Vitaly Vlasov/Pexels