Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Sem fazer muito alarde, o Spotify acabou de lançar sua rede social de áudio chamada Greenroom. A plataforma é mais uma das opções concorrentes ao Clubhouse e foi redesenhada com base no Locker Room, app do mesmo gênero voltado para esportes e que foi comprado pelo serviço de streaming de música. O lançamento confirma os vazamentos anteriores sobre o assunto.

À princípio, o Greenroom é descrito pela empresa como um espaço para falar sobre esporte, cultura e música, uma proposta de migração de conteúdo do Spotify para com a base de usuários do Locker Room. Estes, inclusive, verão que seu app foi atualizado, adotando o logo verde e preto e o novo nome.

publicidade
Como funciona o app?

O Spotify Greenroom tem uma interface bastante parecida com o Clubhouse. Ao criar uma conta, o usuário precisa selecionar os temas sobre os quais tem interesse e, por enquanto, essa é a ferramenta que vai apresentar as salas criadas e recomendadas pelo app. Existe a possibilidade de, no futuro, os conteúdos do streaming de música também servirem de base para recomendações no Greenroom.

Tela inicial do Spotify Greenroom

Ao abrir uma sala, os administradores ficam no topo com ícones redondos grandes, enquanto os ouvintes ficam abaixo com ícones menores. Na parte superior, o app mostra o tipo de conteúdo, o tempo decorrido da sala e a opção de sair. Embaixo, encontram-se os botões para adicionar alguém na sala, pedir para falar e compartilhar o link da sala.

Existe um espaço para grupos de conteúdo, onde usuários podem criar seus grupos e promover as discussões. O app tem um calendário onde aparecem as próximas salas que devem começar de acordo com os perfis e grupos que o usuário segue, além de oferecer a opção de agendar uma sala ou adicionar ao calendário as sugestões do app.

publicidade

A ferramenta também possui um sistema que permite aos usuários darem joias (gems) aos criadores durante as salas caso gostem de seu conteúdo. Para isso, basta dar um duplo toque sobre o ícone do criador. As joias são mostradas no perfil do usuário em destaque.

Conteúdo e monetização

Um dos objetivos do Spotify com seu Greenroom é expandir sua oferta de Podcasts, e consequentemente promover seu sistema de financiamento desse tipo de conteúdo. Por isso, todos as salas serão gravadas e os administradores podem solicitar a gravação ao final para editarem e transformarem em podcasts que são publicados no Spotify.

Para ajudar a monetizar o conteúdo criado na plataforma, também foi lançado hoje o Fundo de Criadores do Greenroom. O espaço permite que usuários se registrem para que possam passar por uma seleção e sejam eleitos para receber por seu conteúdo criado na rede social. Por enquanto, o fundo é restrito a residentes dos EUA e não possui relação com as joias recebidas pelos usuários.

Planos futuros

Como ainda é o começo da rede social, o Greenroom ainda é totalmente voltado para salas e assuntos criados por usuários. Contudo, o Spotify tem planos futuros para a rede social e deve anunciar mais detalhes nos próximos meses. Existe a possibilidade de uma integração com a plataforma de streaming para gerar conteúdos relacionados à música e com participação de artistas.

Além disso, é possível que usuários do streaming de música que seguem podcasts recebam avisos de quando os podcasters criarem salas no Greenroom. Isso deve expandir a produção das duas plataformas e garantir a migração dos usuários.

O Spotify Greenroom já está disponível para Android e iOS aqui no Brasil.

Via Tech Crunch e The Verge