Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

A Oppo levantou a bola, já em abril, de que estaria trabalhando em um futuro smartphone sem porta USB-C para carregamento e, nesta segunda-feira (14/06), quase 70 dias depois, a Xiaomi entrou no assunto. Engenheiros da empresa, a terceira que mais vendeu celulares no mundo até agora em 2021, disseram estar confiantes que, no ano que vem, o que hoje vem sendo tratado como conceito se tornará realidade, e em modelos vendidos comercialmente.

A avaliação de dentro da Xiaomi é que a tecnologia de carregamento sem porta para smartphones não foi lançada ainda por um combinado de fatores, mas que não são difíceis de consertar. Os principais seriam a baixa velocidade que esse tipo de carregamento tem, quando comparado ao tradicional, com fio, e à carência de locais que oferecem tecnologia de carregamento wireless nesse momento.

publicidade
Mercado amplo em 2022

As pessoas de dentro da Xiaomi arriscaram projetar que o ano de 2022 será decisivo para que os smartphones sem porta de carregamento efetivamente ganhem a confiança dos consumidores e, consequentemente, um lugar sólido no mercado. Eles acreditam que todos os modelos de smartphones, não somente os conceito, como hoje, passarão a ter um design sem porta para carregamento.

Além de serem disponibilizados sem porta para carregamento, os futuros smartphones e dispositivos da Xiaomi terão outra novidade. Segundo o leaker Digital Chat Station recentemente postou em sua conta no Weibo, principal rede social da China, a empresa solicitou junto ao Ministério da Indústria e Informática da China autorização para produzir um smartphone equipado com módulo UWB, ou ultra wideband.

O UWB facilita a propagação dos sinais e permite a transmissão de dados sem a sobreposição entre eles, proporcionando altas taxas de transmissão com baixo consumo de energia. O sistema é utilizado em dispositivos como as AirTags, da Apple, para permitir que eles possam ser encontrados com maior precisão, e está presente em alguns flagships da Samsung e nos mais recentes smartphones da Apple desde a linha iPhone 11.

Via GizChina e Free News

publicidade