Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Circula nas redes sociais um vídeo no mínimo surpreendente: um carregador cujo cabo pode ser cortado, destacado e plugado novamente no conector, funcionando novamente. O produto é chamado de RenewCable, promete uma vida útil de dez anos se você encaixar corretamente, e ao entrar na loja oficial, você pode adquiri-lo por 50% de desconto. Mas, será que esse produto funciona de verdade?

Segundo a descrição, o carregador permite a troca para três categorias de encaixe — micro-USB, iPhone e Tipo-C. Comercializado pela Farozia, o produto detém uma patente exclusiva com materiais de alta qualidade, com cabo de 1,5 m que pode ser cortado em ambos os lados, é projetado para não dar nó, super resistente e, como se não bastasse, “carrega duas vezes mais rápido do que cabos normais”.

publicidade

Parece bom demais para ser verdade, não é? Resolvemos checar se o produto existe.

Loja não detém patentes e possui reviews fraudulentas
montagem lado a lado do cabo mágico da farozia

Imagem: Reprodução/Farozia

O anúncio do RenewCable explica que o produto funciona com uma tecnologia patenteada pela Farozia, cujo endereço de registro dá em Miami Gardens, na Flórida, numa residência convencional e número de telefone falso. Na teoria, a empresa deveria constar com o registro no Escritório de Patentes dos Estados Unidos. Entretanto, nenhum registro contendo o nome da loja ou do produto aparecem.

Além do carregador com cabo mágico, a Farozia vende também um isqueiro duplo dobrável, sem gás e com carregamento via USB. Em um link ativo, porém não listado, do Gregory, um cofrinho que morou no “vale da estranheza” tempo suficiente para aparecer nos seus pesadelos.

Todos os produtos listados acima possuem notas pouco abaixo de 5 estrelas e o mesmo número absurdo de reviews: 3,759. Curiosamente, apenas dez delas são acessíveis, e embora algumas das avaliações exibam fotos do produto nas mãos dos clientes, nenhuma delas possui menos de quatro estrelas.

publicidade

Além da estranha quantidade de reviews, a loja possui uma reclamação no Better Business Bureau, um órgão de auxílio ao consumidor dos Estados Unidos. A reclamação é de um comprador insatisfeito com a compra de um chuveiro ionizador, que nunca chegou em suas mãos. A Farozia não respondeu às reclamações, e tirou o produto da listagem — embora ele ainda possa ser encontrado com uma busca breve no Google.

RenewCable surgiu em campanha suspeita no IndieGoGo e permanece desaparecido

As primeiras menções da campanha do carregador com cabo mágico começam ainda em 2018, com uma companhia chamada SirTeen pedindo US$ 10 mil pela criação do RenewCable. Com 899 apoiadores, a empresa levantou cerca de R$ 160 mil para a criação do carregador com cabo similar à bala Fini.

A empresa totalizou 173 comentários, com boa parte deles reclamando de não receber o produto ou, ainda, recebê-lo danificado. O comentário mais recente, que data de sete meses atrás, é de um cliente que acusa a empresa de ser “outra golpista”.

A mesma SirTeen é responsável por outras três campanhas, todas muito impressionantes e boas demais para serem verdade: a de um E-Skate, um ecoKart e um drone de madeira. Em todas elas abundam reclamações de apoiadores que não receberam seus produtos.

comparação lado a lado do cabo da Elough

Imagem: Reprodução/Elough

Listagens em em lojas online como Amazon, AliExpress e Shopee listam o RenewCable como um produto da Elough, uma empresa localizada em Shenzeng, China — e cujo site também não funciona. Nenhuma das lojas online possui o produto disponível em estoque, e tampouco eles constam com avaliações.

Produto está disponível no Alibaba por fabricante chinesa

Na verdade, o produto é comercializado pela Eonline, no Alibaba. A empresa, fundada em 2010 em Guandong, começou as atividades no e-commerce em 2015, e apresenta vendas certificadas pela loja virtual. Dentre os múltiplos acessórios estão o “Eonline 1.5M DIY Renew cable”.

Em suma, o carregador com cabo mágico destacável existe. Com um nome muito menos chamativo, porém, existe. Está em estoque, e apresenta os certificados de aprovações pela Federal Consumer Comission e padrões de compatibilidade eletromagnética exigidos para comercialização na Europa. Interessados podem encomendar um mínimo de cinco unidades.

Cabo envolto em intrigas usa a mesma tática do óleo de cobra

A própria tática de vendas do Eonline é o que favorece a quantidade absurda de fraudes. Destinados para produção em atacado, a empresa comercializa os cabos customizáveis, inserindo logos e aparências personalizadas em encomendas a partir de 100 unidades, e embalagens personalizadas a partir de 1000 unidades.

É possível que o preço e a personalização tornem o acessório numa espécie de brinde comercial, voltado especialmente para empresas ou comercialização no varejo. Entretanto, é a personalização do carregador do cabo mágico que permite que o produto seja lançado como um item especial, ou que precise de financiamento pelos usuários, quando, na verdade, ele já existe.

Negócios como o Farozia e o Sirteen apostam em virais nas redes sociais destes produtos — seja com contas falsas ou pagando influencers para a divulgação. O produto entra no hype e, das duas, uma: ou ele chega ao cliente por um valor superfaturado, ou ainda, não chega nunca.

A tática foi a mesma com o cofrinho Gregory. O produto viralizou nas redes sociais, mas desapareceu da página inicial, ou até mesmo dos produtos relacionados na loja virtual. Algo um pouco estranho, não? Um produto ganhar tanta atenção apenas para não ser comercializado?

Infelizmente, não é de se surpreender. As big techs não andam muito bem na luta contra anúncios fraudulentos, e poucos são os usuários que sabem que os golpistas podem ser denunciados. Por isso, é importante que, antes de uma compra online, você verifique se o endereço corresponde a uma loja real, se o sistema de avaliações é legítimo e se ele possui suporte. E no fim, desconfie: se as coisas parecem boas demais para ser verdade, é porque provavelmente elas não são reais.