Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

O Youtube anunciou nesta terça-feira (11/5) um fundo de US$ 100 milhões (aproximadamente R$ 520 milhões) para incentivar a criação de conteúdo no Shorts, novo recurso da plataforma que pretende concorrer com o TikTok e o Instagram Reels.  De acordo com a empresa, o fundo será lançado nos próximos meses e o dinheiro distribuído aos criadores em 2022.

Amy Singer, diretora de parcerias globais para o Shorts no YouTube, afirma que o incentivo a novos criadores é uma das principais prioridades da plataforma no momento. “Estamos trabalhando ativamente nisso e aceitaremos os comentários coletados de nossa comunidade para ajudar a desenvolver um programa de longo prazo projetado especificamente para curtas-metragens do YouTube”.

publicidade

Segundo o YouTube, qualquer criador de conteúdo poderá participar do fundo, não apenas aqueles que estão inseridos no Programa de Parcerias do YouTube, desde que siga as diretrizes da comunidade e crie conteúdo original. Atualmente o YouTube Shorts está em fase beta, disponível nos Estados Unidos e Índia. O Google chegou a fazer testes da plataforma para alguns usuários no Brasil, mas ainda não há previsão de quando será lançado oficialmente.

A dinâmica da ferramenta é muito parecida com o TikTok. Nela, os usuários do YouTube podem criar vídeos em formato vertical de até 60 segundos. Ao incluir a hashtag #shorts na descrição do vídeo, ele será automaticamente disponibilizado na página inicial da ferramenta na plataforma.

Aparentemente os vídeos curtos em formato vertical são a principal aposta das redes sociais para o futuro. Além do investimento constante do Facebook no Instagram, o TikTok segue ganhando mercado com propostas que visam expandir o público para atingir outras faixas etárias com sua plataforma. Para isto, a rede de vídeos chinesa também anunciou o seu próprio fundo de investimento para criadores, desta vez direcionado para aqueles que produzem conteúdos relacionados a educação.

publicidade

Via Engadget