Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

A Anatel, órgão regulador de telecomunicações no Brasil, lançou uma nova ferramenta que mapeia sinal de telefonia móvel e banda larga móvel no país. A agência reguladora menciona que, por exemplo, por mais que muitos acreditem que regiões metropolitanas e capitais possuam cobertura total, essa pode não ser a realidade.

O chamado Painel Cobertura Móvel já está disponível na internet, e em breve terá uma versão beta para dispositivos móveis. Segundo Leonardo de Morais, presidente do órgão, ela “empodera o consumidor através de transparência e informação”. A plataforma da Anatel traz mapas interativos, permitindo filtragem de sinal por tecnologia 3G ou 4G, com precisão de cobertura não apenas por municípios, mas também por sub-regiões. Os dados incluem ainda a cobertura por operadora, com sinalizações visuais mostrando se ela é baixa, média, ou alta.

publicidade
Auxílio no planejamento de novas políticas públicas

Segundo a Anatel, a ferramenta de mapeamento de sinal pode levar informações não apenas aos consumidores de centros urbanos e rurais, como também pode ajudar empreendedores na hora da contratação de serviços. Outra faceta desse canal de prestação de serviços é a utilização e exportação dos dados por outros órgãos da administração pública ou pela própria sociedade civil para formulação de mais políticas de inclusão de acesso.

A maioria das operadoras já fornece seus próprios mapas de cobertura. Mas os dados da Anatel seguem um padrão internacional de aferição. O chamado ITU-R P.1812-5 ajuda a eliminar o caráter marqueteiro dos dados divulgados pelos mapas de sinal das próprias empresas de telefonia móvel, oferecendo estatísticas mais realistas de internet móvel no território nacional.

Já no ar, a ferramenta também deverá incluir mapeamento de tecnologia 5G, isto é, quando ela existir no Brasil. A Anatel vem adiando por anos o leilão das frequências a serem utilizadas pela quinta geração de redes móveis. Graças a isso, por enquanto as operadoras apenas improvisam com o DSS, enquanto outras já promovem testes, mas sem que seja possível lançar a nova infraestrutura.

Imagem: Jan Huber/Pexels/CC

publicidade