Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Após o Instagram ativar um novo recurso de pesquisa que mostrava recomendações de dietas inadequadas para pessoas com transtorno alimentar, a rede social pediu desculpas. O algoritmo fazia com que fossem promovidos na plataforma conteúdos como “inibidores de apetite” e “jejum” para os usuários que acionavam a pesquisa por “tópicos”.

Ativistas que tratam de temas relacionados a transtornos alimentares disseram que essa falha poderia prejudicar pessoas vulneráveis, até o ponto delas terem recaídas. Lauren Black, uma influencer que se recupera de problemas com anorexia, divulga na rede social informações nutricionais e voltadas para o apoio àqueles que sofrem dessas condições como ela. Black relatou que é possível encontrar no Instagram conteúdos prejudiciais quando é feita uma pesquisa sobre recuperação de distúrbio alimentar.

publicidade

Hope Virgo é outra influencer que foca no tema de alimentação saudável dentro da plataforma e também trabalha com informações que buscam apoiar quem sofre de anorexia. Segundo a ativista, esse problema com a divulgação indevida de conteúdos nocivos à saúde tem aumentado no app. Para ela, “pessoas vulneráveis ​​estão sendo inundadas com esses conteúdos e nem mesmo procuram ativamente por eles”.

Um perigo para a saúde das pessoas

O Dr. Joshua Wolrich, médico do NHS, Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido, reforça a preocupação com a gravidade do problema e afirma que os transtornos alimentares devem ser tratados da maneira certa. O canal oficial da BBC Radio 5 Live no Twitter postou as declarações de Wolrich sobre a falha do Instagram ser muito perigosa à saúde das pessoas.

O Instagram pede desculpas pela ocorrência que resultou na promoção de conteúdos nocivos para pessoas com transtorno alimentar. De acordo com um porta-voz do Facebook, parte do novo recurso de pesquisa estava mostrando resultados para interesses gerais, porém, a perda de peso não deveria ser um deles. A plataforma informou que os termos prejudiciais já foram removidos.

publicidade

Via The Next Web e BBC

Imagem: Ioan Faur/Pixabay/CC