Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Na última terça-feira, a Oculus anunciou novos recursos para o seu Oculus Quest 2, que trazem uma forma nativa de uso do headset via Wi-Fi e um suporte para taxa de atualização de 120Hz. A primeira novidade faz parte da atualização de software v28, que será integrada gradualmente para os usuários do dispositivo de realidade virtual (RV). A segunda já está habilitada para jogadores e desenvolvedores, embora não existam ainda apps com suporte 120Hz.

O recurso Air Link permitirá que a pessoa use o Oculus Quest 2 conectado à rede Wi-Fi em uma distância de até 6 metros do roteador. Essa eliminação da necessidade de conexão por fios é uma funcionalidade semelhante ao que já é possível com apps de terceiros. Porém, o diferencial de agora é que essa possibilidade se torna algo nativo da plataforma.

publicidade

No anúncio publicado, a empresa informa que a funcionalidade requer que o headset e o PC estejam ambos executando o software v28. Ou seja, o Air Link deverá estar acessível assim que as versões Quest e PC da atualização forem lançadas. Além disso, o recurso está saindo em um formato experimental, de modo que a empresa possa receber feedbacks dos usuários em seu canal de suporte para poder estudar e realizar melhorias até encontrar uma versão efetiva.

Um ponto levantado pela publicação da Oculus é de que redes wireless congestionadas ou inseguras não são ideais para o uso do recurso. Logo, se o ambiente de uso não oferecer um sinal de Wi-Fi de qualidade, o Oculus Quest 2 deverá ser conectado ao cabo USB-C para fornecer uma experiência ideal de RV.

Taxa de atualização de 120Hz

Outra novidade do headset do Facebook está na taxa de atualização de 120Hz, que fornece ao usuário um conforto maior na interação com a realidade virtual. O padrão atual de 90Hz está aberto em toda a plataforma desde o ano passado e pode ser experimentado pelas pessoas em diversos apps.

Como foi falado acima, por enquanto, não há aplicativos com suporte para taxa de atualização de 120Hz, porém, o usuário que ativa esse recurso em seu Oculus Quest 2 receberá esse desempenho assim que os apps compatíveis começarem a chegar. De positivo, esse recurso oferece muito mais conforto e suavidade para a pessoa que experimenta a imersão na realidade virtual. Entretanto, é uma funcionalidade que exige bastante do hardware, inclusive da vida útil da bateria.

publicidade
Infinite Office

Por fim, a publicação que trouxe a novidade do Wi-Fi para o Oculus Quest 2 também anunciou atualizações em seu Infinite Office. A coleção de novos recursos integrados ao Oculus Home, que é projetada para tornar o trabalho em RV mais produtivo e flexível, recebeu suportes para integração de superfície física e para rastreamento de teclado físico. Este último será interessante para a combinação com a capacidade de localizar e usar o mouse Bluetooth, lançada em janeiro. Andrew Bosworth (Boz), vice-presidente de realidade aumentada e virtual no Facebook, tuitou sobre as novidades e inseriu no tweet um teaser de 38 segundos que ilustra bem o que está sendo anunciado.

Lançada como um recurso experimental na Plataforma Quest, a novidade permitirá a inserção de uma mesa (ou móvel semelhante) virtual pertencente a um mobiliário real que poderá ser vista e usada no ambiente Home. Os limites do móvel inserido ficarão salvos e serão detectados automaticamente em um acesso posterior. Um recurso parecido é o do Modo Sofá, que publicamos em fevereiro.

Já o teclado físico que será levado para o ambiente de realidade virtual faz parte de uma parceria da Oculus com a Logitech e seu dispositivo Logitech K830. De acordo com o anúncio, essa novidade permitirá a mesma eficácia de digitação em RV que há no mundo real. Com rastreamento do teclado habilitado em Bluetooth, além da possibilidade de visualizar uma representação 3D das mãos e do teclado, como é mostrado no tuíte de Bosworth.

Via Ars Technica e TechRadar