Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

O jogador brasileiro de PUBG Mobile Lucas Goodzin (nickname) foi suspenso de campeonatos oficiais por um ano por fazer um comentário racista durante uma transmissão ao vivo. Em entrevista ao canal do ferzotetv no Twitch, que aconteceu no último domingo (04/06), o pro player fez uma grosseria ofensa racista (que não iremos repetir aqui) a um adversário. A gravação dessa transmissão foi excluída tempo depois. O jogador e sua ex-equipe estavam disputando a PUBG Mobile Pro League Brasil.

Os companheiros de time de Goodzin também estavam presentes na transmissão. Quando o jogador fez o comentário, seus companheiros riram e pediram para que ele parasse. Na terça-feira (06/04), a Tencent Games (empresa responsável pelo jogo) suspendeu o jogador de acordo com o artigo 6.3.3 do livro de regras da PUBG Mobile Pro League Brasil, que trata de punições aos membros que tiverem atitudes sexistas, homofóbicas, racistas ou qualquer outro tipo de injúria.

publicidade

A Tencent acrescenta no comunicado: “Nós da Tencent Games reiteramos que não concordamos com nenhuma conduta discriminatória e oferecemos nossa solidariedade à vítima. Também gostaríamos de pedir que se você ver ou ouvir qualquer comportamento semelhante a este, avise os organizadores do evento.”

Em uma nota de esclarecimento ao comentário racista, a INTZ se posicionou sobre o fato e resolveu rescindir o contrato com o pro player de PUBG brasileiro, oferecendo um “processo de reeducação e conscientização” para o mesmo. Em suas redes sociais, Lucas Goodzin disse que não vai comentar sobre o caso e afirmou que ficará um tempo afastado do game.
Imagem: Screen Post/Unsplash/CC