Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

O mercado de headsets de realidade virtual pode não ser tão popular no Brasil, mas lá fora, ele tem tamanho suficiente para que o Facebook aposte alto nele, através da sua empresa Oculus. Mesmo assim, Mark Zuckerberg achou melhor tirar um produto do seu portfólio de circulação: o Oculus Rift S foi cancelado, e assim não estará mais disponível quando os estoques atuais acabarem nas varejistas e lojas virtuais.

Motivo é a falta de praticidade do Oculus Rift S

A decisão é motivada pela praticidade que dispositivos mais modernos trouxeram: enquanto o Rift S exige um computador potente para funcionar de forma combinada, produtos como o Oculus Quest 2 do próprio Facebook oferecem muito mais praticidade ao integrarem todo o hardware necessário já no headset. Além da economia, há também mais praticidade para levá-lo para casa de amigos, sem se preocupar com as configurações de outros PCs que não sejam os seus.

publicidade

Quem já tem um Oculus Rift S, porém, não precisa se preocupar, segundo o Facebook: a empresa ainda vai dar suporte para o acessório de realidade virtual, mesmo cancelado. Quem está pesquisando e pensando em comprar um headset VR, porém, deve evitá-lo a partir de hoje, já que o próprio Quest 2 também custa, lá fora, US$ 299 (R$ 1.675 em conversão direta hoje, 06/04), e é um produto mais completo (e não descontinuado).

Confira abaixo o vídeo de apresentação do agora cancelado Oculus Rift S.

Como estão os concorrentes

Vale lembrar que a Apple deverá se jogar nesse mercado até 2022, mas com um produto de luxo que poderá custar mais que um iPhone. Curiosamente a Samsung, já que foi muito ativa nesse segmento, vem dando vários sinais de que headsets VR não são mais um foco. No ano passado ela desativou sua principal aplicação para óculos de realidade virtual, o Samsung VR. Algo que pode tê-la incentivado a isso foi a tendência de crescimento justamente de dispositivos independentes, enquanto para ela era interessante combinar os óculos com a linha Galaxy Note e Galaxy S.

Via TechRadar

publicidade