Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

O Google Maps está lançando uma ferramenta de edição na qual os próprios usuários poderão desenhar no mapa, de uma forma simples e rápida. Assim, todos poderão adicionar estradas não marcadas no aplicativo, renomeando-as, alterando direções e até mesmo excluindo caminhos errados.

Muitas pessoas já passaram por alguns problemas na plataforma em relação a caminhos que não existem, ou simplesmente por uma rua não constar no mapa (principalmente em zonas rurais). Em um post, o Google diz que o recurso será lançado em mais de 80 países (sem especificar quais) nos próximos meses, sem detalhar também em quais sistemas operacionais ficará disponível.

publicidade

Para desenhar no mapa é simples: o usuário só precisa ir ao menu lateral do Google Maps, clicar em “Editar o mapa” e selecionar “Estrada faltando”. O canal oficial do Google Maps também postou um vídeo no YouTube de como usar a nova ferramenta, veja:

Os usuários poderão também informar à plataforma que um caminho está fechado por diversos motivos. Mas, é claro que a empresa vai analisar as sugestões dentro de uma semana, para corrigi-las se for realmente necessário. É importante dizer que no caso de ciclovias, o Google pede que os usuários não as marquem como estrada, com o objetivo de não prejudicar outros motoristas e evitar acidentes com os ciclistas.

No blog, o Google também diz que o Maps receberá a ferramenta “atualizações de fotos”, onde os usuários poderão compartilhar imagens instantaneamente de um lugar sem ser obrigado a deixar uma classificação ou comentário. Assim, serão exibidas fotos recentes de outros usuários para que você veja como está o local atualmente, e não se basear apenas em fotos antigas.

publicidade

Via The Verge