Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

O grupo de lobby France Digitale está processando a Apple na França com a alegação de que o sistema de anúncios da empresa não exige o consentimento dos usuários para rastrear suas atividades na internet, para assim entregar anúncios direcionados. Os documentos da queixa foram analisados pela Bloomberg.

Esse é apenas o último desenvolvimento na esteira da decisão da Apple de que todos os desenvolvedores terceiros de app precisam pedir o consentimento dos usuários para rastrear suas atividades para anúncios direcionados, ou serão banidos da App Store.

publicidade
Apple diz que alegações são “evidentemente falsas”

Segundo o processo do France Digitale, o sistema de anúncios da App Store, Apple News e Stocks não exigem permissão dos usuários franceses para rastrear seus dados. “Os usuários não são suficientemente informados sobre uso e processamento de seus dados pessoais”, dizem os documentos do processo. “A Apple mantém o direito de escolher quem é um ‘parceiro’ e quem é um ‘terceiro’ de uma maneira arbitrária, uma qualidade que pode mudar com o tempo, sem que o usuário seja alertado dessa mudança.”

A Apple se defendeu, e chamou as alegações do processo francês de “evidentemente falsas” e “uma tentativa de distrair os usuários de quem eles rastreiam dados de suas próprias ações, e enganar legisladores e reguladores”.

Decisão da Apple tem defensores e opositores

Alguns desenvolvedores afirmam que a decisão da Apple prejudicará companhias que dependem de anúncios direcionados. O Facebook, por exemplo, publicou anúncios de página inteira em jornais como Wall Street Journal, The New York Times e The Washington Post no final do ano passado. No anúncio, a companhia de Mark Zuckerberg afirmava estar lutando pelos “pequenos negócios de toda parte”, que teriam sua renda prejudicada pela decisão de privacidade da Apple. Mas, em janeiro, o Facebook acabou cedendo e acatando a mudança.

Além disso, nem todo mundo das empresas Big Tech concorda com as críticas feitas pelo Facebook. Ned Segal, diretor financeiro do Twitter, elogiou a decisão da Apple e disse que as mudanças vão “nivelar o campo” para outras redes sociais.

publicidade

Via Apple Insider

Imagem: Hassan Anayi (Unsplash)