Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Após diversas tentativas de contato com os desenvolvedores, ontem (17/02) o app Official Trump 2020 saiu da biblioteca da Play Store. O Google remove aplicativos considerados não funcionais, e o app oficial do Trump parou de funcionar corretamente (se assim podemos dizer), apresentando uma certa lentidão e problemas de conectividade na tela de carregamento.

Apesar do nome Official Trump 2020, o app foi criado para a campanha eleitoral de 2016, onde Donald Trump foi eleito presidente dos Estados Unidos. Nos anos seguintes, o aplicativo recebeu diversas atualizações, porém nunca deixou de funcionar. Se tratando de funcionalidades, os usuários podiam registrar comícios do ex-presidente, verificar eventos e até mesmo contribuir financeiramente com a campanha.

publicidade

Nos termos de uso da Play Store, está clara a informação de que os aplicativos que estão disponíveis precisam apresentar ao menos funcionalidades e experiências mínimas ao usuário.

Captura de tela do aplicativo Trump 2020 no Google Play

Captura de tela do aplicativo Trump 2020 no Google Play

Em uma declaração recente ao Android Police, o Google respondeu: “O aplicativo de campanha Trump 2020 parou de funcionar recentemente e entramos em contato com o desenvolvedor várias vezes na tentativa de fazer com que tratassem do problema. As pessoas esperam que os aplicativos baixados do Google Play forneçam um nível mínimo de funcionalidade e nossa política é remover aplicativos que não funcionam da loja se eles não forem corrigidos.”

Alegando violação das políticas da Play Store, o Google também removeu no mês passado o app de mídia social conservador Parler. Esse aplicativo é acusado de ter sido usado para ajudar na organização de eventos que ameaçaram à segurança pública no dia 06/01. Porém recentemente, o Parler voltou ao ar, com posts antigos apagados.

Imagem: Gayatri Malhotra (Unsplash)

publicidade