Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

O governo da Índia acaba de anunciar uma mudança importante em sua política de mapeamento geoespacial. Esse movimento político vai ao encontro da criação de um serviço local capaz de concorrer com o Google Maps no território indiano.

Mais cedo, a Organização Indiana de Pesquisa Espacial (ISRO) assinou um memorando de entendimento (MoU), uma espécie de acordo, com a empresa privada local MapmyIndia. Nos termos, o provedor de soluções digitais de navegação passa a fornecer seu catálogo de mapas de usuário final, aplicativos e serviços ao servidor de imagens de satélite e dados de observação da Terra da organização estatal.

publicidade

pessoas responsáveis pela ISRO e pela empresa MapmyIndia

O intuito do acordo, segundo os responsáveis, é fornecer para o cidadão indiano uma alternativa nacional para suas buscas e serviços de localização geográfica. Além disso, os argumentos apontam para uma autonomia da Índia perante o Google Maps.

CEO da MapmyIndia ataca motores de busca estrangeiros

Em uma postagem feita no LinkedIn, o CEO e diretor executivo da MapmyIndia comemora o acordo realizado e, ao mesmo tempo, afirma que as empresas de fora do país possuem métodos ocultos de lucro com a exploração desse tipo de serviço na Índia. Rohan Verma acusa motores de busca estrangeiros de lucrarem com publicidade baseada na invasão da privacidade dos usuários de seus mapas gratuitos. Ao mesmo tempo, exalta o nacionalismo de sua empresa e seu compromisso de responsabilidade com a segurança e a privacidade dos cidadãos indianos.

Já na mudança anunciada pelo primeiro-ministro Narendra Modi, o governo indiano remove restrições de acesso das empresas locais a licenças e permissões de coleta, gerenciamento e armazenamento de dados geoespaciais do país. No comunicado, Modi afirma que desregulamentar as pesquisas geoespaciais ajuda a Índia a avançar em direção à autossuficiência e a atingir suas metas de PIB.

publicidade

O Google Maps nunca lançou seu Street View na Índia, bastante por causa da falta de apoio do governo local. A situação para a potência mundial de tecnologia não parece que vai mudar, entretanto. A liberação de acesso gratuito aos dados e licenças geoespaciais é especificamente para empresas nacionais locais.

Acesso gratuito de empresas nacionais da Índia a serviços de mapeamento

De acordo com as novas diretrizes, essas empresas da Índia passam a ter permissão para acessar informações que incluem estações terrestres indianas, localização de prédios públicos, bem como serviços de zoom para posicionamento em tempo real. As empresas também teriam acesso a pesquisas de mapeamento móvel terrestre, visão de rua e a pesquisas sobre as águas no território da Índia.

Os novos regulamentos também permitem que empresas estrangeiras licenciem dados de empresas indianas que trabalham com mapas digitais e dados geoespaciais por um valor determinado. Entretanto, o acesso aos mapas e dados geoespaciais só deve ser disponibilizado por meio de APIs que não permitam o armazenamento das informações pelas empresas licenciadas.

No comunicado do governo, Narendra Modi acrescentou que essas alterações abrem espaço para as startups da Índia, além permitirem aos setores público e privado e órgãos de pesquisa criarem soluções inovadoras e escaláveis. Dessa forma, também permitindo novas tecnologias e plataformas que possam impulsionar a eficiência na agricultura e nos setores afins.

Via TechRadar

Imagem: beyhanyazar / iStock