Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

O Facebook parece estar a fim de seguir à risca o lema de “nada se cria, tudo se copia” e, de acordo com uma reportagem do The New York Times, começou a desenvolver uma cópia do aplicativo do momento, o Clubhouse. Se ainda há alguém que não ouviu falar, o Clubhouse é uma nova forma de interagir criada durante a pandemia. Trata-se de um app de chat em áudio, que você só pode acessar se for convidado, lembrando muito a mecânica adotada no começo do saudoso Orkut.

De acordo com a reportagem do jornal americano, o Clubhouse teria conquistado o coração do criador do Facebook, Mark Zuckerberg. Isso teria acontecido porque, recentemente, o executivo foi convidado para dois bate-papos com Elon Musk. Foi o suficiente para acender a luzinha na cabeça do criador do Facebook e a ideia de levar à sua rede social uma cópia do Clubhouse.

publicidade
Segredo, mas não muito

O desenvolvimento do “novo” produto pelo Facebook foi confirmado para a reportagem do jornal por duas pessoas ligadas ao projeto, mas nenhum detalhe ou possível nome da plataforma que será criada como cópia do Clubhouse foram revelados. Emilie Haskell, porta-voz da empresa de Zuckerberg, no entanto, confirmou que “novas maneiras” de conectar as pessoas estão sendo estudadas.

“Há muitos anos conectamos pessoas por meio de tecnologias de áudio e vídeo e estamos sempre explorando novas maneiras de melhorar essa experiência para as pessoas”, sintetizou a representante do Facebook, abrindo a clara possibilidade de a empresa investir num clone.

Não custa lembrar que o Facebook já atuou das duas formas distintas quando se interessou por novas tecnologias. Em 2012, pouco depois do lançamento do Instagram, Zuckerberg não hesitou e pagou US$ 1 bilhão para incorporar a empresa ao seu conglomerado. Repetiu as ações com o WhatsApp em 2014 e, no mesmo ano, também se tornou dono da Oculus, empresa focada na tecnologia de realidade virtual.

A cópia de recursos de aplicativos, como o Facebook deseja fazer com o Clubhouse, também não é novidade. Em 2016, o Instagram, já sob a aba do Face, criou seus próprios Stories, recurso que era originalmente encontrado no Snapchat. Mais recentemente, em 2020, o próprio Instagram presenteou seus usuários com o Reels, que não esconde suas semelhanças com o TikTok. Agora é aguardar qual será o posicionamento de Mark Zuckerberg e seu time: Continuarão investindo na cópia do Clubhouse para o Facebook ou, simplesmente, farão uma oferta bilionária para comprar o app que está bombando no momento?

publicidade

Imagem: Edar/Pixabay