Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

A vaga é para comunicação na Tesla. Quem pegar o emprego tem que defender Elon Musk de si próprio.

O CEO da companhia vive entrando em encrenca no Twitter, o que gera constantes reclamações (e discussões) que atingem a imagem da empresa. Por isso, a Tesla anunciou vagas de emprego para Energy Support Specialists (Especialista em Apoio a[o consumidor de] Energia). Atribuições do cargo: “Os especialistas em suporte de energia da Tesla lidam com uma variedade de problemas do cliente, enquanto fornecem atendimento ao cliente de classe mundial. A função de um especialista é resolver ou escalar reclamações através dos canais apropriados e abordar escalações de mídia social dirigidas ao CEO com pensamento crítico”.

publicidade

Em outras palavras, defender a empresa e seu CEO dos eventuais bombardeios nas redes sociais.

Vaga de emprego anunciada no site da Tesla oferece a chance de defender Elon Musk no Twitter

Tesla

“Pensar fora da caixa”

Apesar de não dar detalhes sobre a faixa salarial oferecida no emprego para o (ou os) candidatos que se dispuserem a vestir a camisa da Tesla/Elon , a empresa divulgou que a vaga online só pode ser preenchida por pessoas com algumas características especiais. Entre elas estão ao menos um ano de experiência anterior em call center (aquelas centrais de atendimento ao cliente que te deixam horas ouvindo musiquinha quando você liga pra reclamar – ao menos aqui no Brasil) e, principalmente, a capacidade para “pensar fora da caixa” e, por último, ter espírito de equipe.

O emprego de defender Musk é uma forma de, pelo menos parcialmente, recriar um departamento de relações públicas na empresa. O CEO desativou por completo o setor em outubro do ano passado e, desde então, praticamente cortou relações com a mídia de uma forma geral. Por conta disso, não é incomum ver o CEO se envolvendo em discussões ou assuntos polêmicos no Twitter, como na postagem acima, em que critica o Facebook. Pelo menos ao que parece, isso é algo que, de agora em diante, eles procurarão evitar.

Via Endgaget