NotíciasPresidente da Samsung volta à prisão por corrupção

Felipe Marsola Monteiro1 mês atrás4 min

Jay Y. Lee, herdeiro e vice-presidente em exercício da Samsung, voltou a ser condenado à prisão pelo caso de corrupção em que se envolveu em 2017. O magnata já havia cumprido um ano de cadeia, mas foi solto por ação dos advogados da empresa. Entretanto, a nova sentença do Superior Tribunal de Justiça da Coreia do Sul decidiu que Lee deve pagar mais dois anos e meio pelos crimes de suborno e desvio de dinheiro.

A condenação foi realizada em um momento complicado para a empresa. Em outubro do ano passado, o antigo dono da Samsung e pai de Jay Y. Lee faleceu, portanto o magnata deveria assumir a presidência formalmente. Com sua prisão, o conselho diretor da empresa decidiu afastá-lo das decisões e, por lei, também será afastado do processo de herança.

Os advogados da família vão entrar com recurso contra a decisão do Superior Tribunal. Segundo a Reuters, eles alegam que “esse é um caso de abuso de poder por parte da ex-presidente do país que viola o direito à liberdade e propriedade da empresa. Portanto, [a condenação] é reversível”.

Escândalo político

O caso pelo qual o presidente da Samsung está sendo preso é parte de um grande escândalo de corrupção que abalou a Coreia do Sul e causou o impeachment da ex-presidente do país. Park Geun-hye. Eleita em 2013, ela e sua amiga Choi Soon-sil haviam criado um esquema de extorsão de dinheiro e influência política que envolveu megacorporações como Samsung, Hyundai e outras.

No final de 2016, o caso de corrupção foi descoberto e Park foi condenada por 16 das 18 acusações. Dentre elas, corrupção, tráfico de influência, suborno e abuso de poder. Com isso, ela foi presa e teve seu mandato cassado.

Na época, Jay Y. Lee havia se envolvido com a ex-presidente para conseguir alguns benefícios políticos. Inclusive, ofereceu suborno em forma de dinheiro e cavalos a Choi para assegurar poderes para sua empresa de tecnologia. O presidente em exercício da Samsung foi, então, descoberto e condenado à prisão, porém teve auxílio dos advogados que reverteram a situação.

Via Business Insider

Imagem: George Clerk/iStock