Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

O Google está sendo criticado na Austrália por esconder conteúdo de empresas locais de comunicação dos resultados de buscas como parte de um “experimento”. O ato é o mais recente capítulo de uma briga entre a empresa e as autoridades locais, e parece ser uma retaliação ao projeto de lei do país que cobra a empresa americana por uso de conteúdo jornalístico.

Alguns leitores do The Guardian comentaram com piadas o fato de que, ao procurarem pelo jornal no Google, o link da página não aparecia, a busca retornava somente as páginas do Twitter, Facebook e Wikipedia da versão australiana do jornal. A gigante de Mountain View se defendeu, dizendo que se tratou de um teste e que realiza “dezenas de milhares de experimentos todo ano”. Além disso, a empresa disse que o experimento será encerrado em fevereiro desse ano.

publicidade
Entendendo melhor a confusão

Em 2020, o parlamento australiano discutiu um projeto de lei que obriga o Google e o Facebook a pagarem por notícias que utilizam em seus resultados de busca ou feed. A lei implica que o valor a ser pago seja negociado entre o governo e as empresas, e também que seja justo com os veículos de comunicação do país. Na época, o Google reagiu e colocou um aviso na sua página australiana. Ao acessarem o site de buscas, os usuários passaram a ver um pop up na tela de pesquisa com a frase “o modo como os australianos buscam todo dia no Google está em risco”.

Já neste ano, o jornal australiano Financial Review foi o primeiro a noticiar que o Google escondeu links dos sites de notícias. Segundo o veículo, a empresa andou mexendo no algoritmo para enterrar os links do país. Em resposta, a empresa americana confirmou que mexeu nos algoritmos como parte de uma pesquisa que realiza todo ano.

Poder abusivo

No jornal The Guardian, um representante da Nine, dona do jornal Sydney Morning Herald e do AFR (Financial Review), disse que o “Google é um monopólio efetivo da informação, e que reter acesso a notícias verdadeiras, recentes e importantes mostra como eles podem impactar o acesso dos australianos a elas”. Além disso, a nota alega que “o Google está demonstrando como pode facilmente fazer os provedores de notícia da Austrália desaparecerem da internet caso não estejam mais sob sua graça, em uma ilustração arrepiante de seu poder de mercado”.

O secretário do Tesouro da Austrália, Josh Frydenberg, comentou em matéria do jornal local Brisbane Times que “Google, Facebook e outras gigantes da tecnologia deveriam focar não em impedir que usuários da Austrália tenham acesso a conteúdo local, mas em pagar por esse conteúdo”. Segundo Josh, o projeto de lei ainda não está concluído, mas será um marco importante para a economia doméstica.

publicidade

Via Business Insider

Imagem: Mudassir Ali/Pexels