Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

É possível dizer hoje que os apps de mensagens substituíram as chamadas telefônicas. Pela praticidade e rapidez na comunicação, uma boa parte das pessoas, especialmente os jovens, tem optado por esse meio. O problema é que, muitas vezes, a expressão virou um monopólio do WhatsApp – uma empresa, devemos dizer, como qualquer outra. Já virou até jargão popular: o famoso “vem de zap”. Para ajudar, o Vida Celular montou um pequeno guia sobre qual seria o melhor app de mensagens para usar, no caso do leitor optar por uma alternativa ao mensageiro do Facebook.

Escolhemos sete opções, todas disponíveis no mercado brasileiro, e no fim demos um veredicto sobre qual app talvez seja mais interessante, baseando-se em suas relativas especificações. Claro, a opção vai ser sua, e por isso, vamos falar um pouco sobre cada um da lista para você tirar suas próprias conclusões.

publicidade
WeChat

O aplicativo mais baixado na China, com mais de um bilhão de usuários e tentando expandir para outros países. Gratuito, oferece aos usuários mensagens instantâneas, chamadas de voz e vídeo e recursos multimídia (imagens, vídeos, stickers e áudio).

Ademais, vem com alguns recursos peculiares, como o “Friends Radar” e o “People Nearby”, em que é possível caçar amigos ou pessoas próximas do lugar onde você está para conversar. O WeChat também tem compatibilidade com Apple Watch e Android Wear – uma funcionalidade um tanto esquisita, mas que pela excentricidade pode ser importante de destacar.

Screenshot do We Chat

Screenshot do WeChat (WeChat/Reprodução)

Facebook Messenger

O Messenger é vital para quem trabalha com o Facebook todos os dias. E desde que foi lançado, em 2011, não mudou muita coisa, funcionando como uma espécie de aplicativo satélite para a rede social de Mark Zuckerberg.

Você pode se registrar no aplicativo pelo próprio Facebook ou por e-mail e a partir daí ter acesso à toda sua lista de contatos na rede. Por ele, é possível mandar as mensagens de bate-papo usuais, bem como mensagens de voz, chats por voz e videochamadas. Há alguns recursos extras como suporte para GIFs e compartilhamento de fotos e localização. Um app de mensagens bem prático de usar, uma vez que basta estar logado ao Facebook para entrar.

publicidade
Imagem promocional do Facebook Messenger

Imagem promocional do Facebook Messenger (Facebook/Divulgação)

Discord

Este app se tornou rapidamente um dos melhores aplicativos para gamers que querem se organizar e comunicar durante um jogo. Lançado em 2015, o Discord apresenta recursos robustos de bate-papo por voz e texto e permite aos usuários criarem seus próprios servidores. Isso possibilita que as discussões sejam organizadas em canais secundários – mais ou menos como funcionava no IRC, no início dos anos 2000 – e facilmente divididas em tópicos.

O único problema do Discord é a segurança, uma vez que o app não fornece criptografia de ponta a ponta. Mas se você estiver à procura de um aplicativo que possibilite um ambiente de trabalho ou um grupo de estudos com discussões variadas, talvez o Discord seja uma boa. Atualmente, o app conta com mais de 250 milhões de usuários.

Screenshot do Discord

Screenshot do Discord (Discord/Reprodução)

Skype

Ele é mais conhecido pelas videochamadas, mas também é um app de mensagens eficiente para usar. Pelo Skype, você pode enviar textos, fotos e vídeos curtos para outros usuários, mesmo quando estes não estiverem online. Além disso, é possível usar os Créditos Skype para fazer chamadas para telefone celular ou fixo.

Uma característica interessante do app da Microsoft é que ele retém a lista de contatos do usuário no Windows Live Messenger (vulgo MSN). Assim, já no painel inicial de contatos, é possível encontrar aquele amigo perdido que você não fala desde o ensino médio. Uma boa integração entre as plataformas desktop e mobile – embora o app no celular seja pesado, é preciso dizer – também sustenta esse velho cavalo de batalha na ativa.

Screenshot do Skype

Painel de contatos do Skype (Skype/Reprodução)

Signal

Se o leitor está preocupado com segurança, o Signal é uma boa opção. Desenvolvido originalmente pela Open Whisper Systems, o app tem criptografia de ponta a ponta e permite mensagens, chamadas de voz, grupos e envio de imagens, áudios e vídeos. Chegou a ser recomendado até por Edward Snowden.

Como no WhatsApp, os usuários do Signal se registram por meio do número de telefone celular. As últimas atualizações vêm com habilitação para modo escuro, pacotes de stickers e uma função em que é possível reagir a qualquer mensagem com um emoji. É possível também fazer videoconferências com criptografia 100% segura, porém para apenas cinco participantes.

Imagem promocional do Signal

Screenshot para o chat do Signal (Signal/Divulgação)

Voxer

Essa é uma opção para o usuário que prefere a comunicação por áudio. Não é algo tão comum, mas há gente que goste assim. Desenvolvido por uma empresa de San Francisco, o Voxer tem uma abordagem mais orientada para a voz, permitindo que os usuários enviem mensagens semelhantes às de um walkie-talkie ou um dispositivo “push-to-talk” (a famosa radioescuta).

Os usuários podem ouvir mensagens ao vivo no aplicativo ou reproduzir mensagens como correio de voz mais tarde. O aplicativo suporta fotos e mensagens de texto, além de permitir grupos com até 500 participantes. Há uma opção também para que você faça a criptografia das mensagens usando o mesmo protocolo do Signal.

Screenshot do Voxer

Versão do Voxer para Web (Voxer/Divulgação)

Telegram

Com milhões de usuários ativos, o app russo Telegram funciona em vários dispositivos móveis e desktop. É gratuito, não contém anúncios e vem com suporte para stickers e GIFs. Nele, o usuário tem um canavial de opções: desde formar grupos com até 200 mil pessoas – com direito a chat de voz – a programar uma mensagem para se autodestruir em 24 horas.

Também é possível armazenar o histórico de bate-papo na nuvem e compartilhar arquivos sem limite de tamanho. As criptografias são de ponta a ponta e relativamente seguras: AES simétrica de 256 bits, RSA de 2048 bits e troca de chaves Diffie-Hellman. Um ponto interessante é que há um modo de chat secreto em que o aplicativo notifica o usuário quando alguém tira um print da conversa.

Screenshots do Telegram

Screenshots do Telegram (Telegram/Divulgação)

Veredicto

Tudo bem, mas de todas essas opções, afinal, qual é o melhor app de mensagens para você usar, tirando o WhatsApp? E a resposta pode ser: depende da finalidade. Se você precisa de um aplicativo para enviar mensagens mais casuais, participar de grupos e, em certa medida, ter uma experiência parecida com a do WhatsApp, talvez a melhor opção seja o Telegram. Além de ser seguro, como já falamos acima, trata-se de um aplicativo que vem crescendo no Brasil – recentemente, a Prefeitura de São Paulo criou um canal oficial no app para informações oficiais sobre o coronavírus.

Agora, se você quer ainda mais segurança do que o Telegram, recomendamos fortemente o Signal. Isso porque é um aplicativo de código aberto e, de acordo com a própria empresa, “feito especialmente para pessoas interessadas em oferecer maior privacidade para as que sabem o quanto isso é importante”. O problema do Signal é bem simples: ninguém conhece. Você não vai conseguir chegar à pessoa mais próxima no escritório e pedir o contato neste aplicativo. Mas, caso seja muito necessário um regime ultraprivado, este aplicativo é o melhor caminho.

Se você quer alternativas diferentes à dinâmica do WhatsApp, ficaríamos entre o Discord, que oferece um ambiente multicanais, com a possibilidade de criar vários tópicos de discussão, e o Voxer, essa enorme rede de usuários com secretárias eletrônicas virtuais. Mas aí entra em um terreno mais específico que cabe ao leitor decidir. De qualquer forma, independente da decisão, tenha em mente dicas importantes para garantir a sua privacidade no meio: evite clicar em links desconhecidos e certifique-se de manter o aplicativo sempre atualizado.

Imagem: Christian Wiediger/Unsplash/CC