Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Saldo positivo, mesmo em tempos de pandemia. Em 2020 a Black Friday, alavancou no Brasil mais de 1,4 milhão de interações nas redes sociais entre as principais marcas de varejo. Este foi o resultado de um relatório divulgado pela Comscore, uma empresa americana de análise de audiência na web que fornece dados para várias das maiores empresas e agências do mundo.

Métricas

Na verificação das redes sociais durante a Black Friday, entre 23 e 27/11, foram analisadas informações sobre engajamento e performance dos principais varejistas, fatia de participação no mercado das plataformas, a classificação dos lojistas que melhor performaram, além da repercussão de ações com influenciadores digitais.

publicidade

Por aqui a alta foi 6% maior que em 2019, sendo que o Instagram reinou absoluto, com 78% das interações. Se compararmos com o ano passado a rede social cresceu 13% em engajamento e foi ‘a queridinha’, escolhida pelas marcas para garantir maior interação nos conteúdos e gerar visibilidade. Na sequência vem o Facebook, 16% e Twitter com 6%.

Os dados foram coletados utilizando análise de mídia social que aufere a popularidade de uma marca ou empresa extraindo informações de canais diversos como blogs, wikis, sites de notícias e as próprias redes sociais.

Em terras brazucas as marcas mais procuradas foram Lojas Americanas, Magazine Luiza, Samsung, Xbox e Playstation. Apesar das Americanas ter mantido a liderança performou menos e diluiu suas menções entre os concorrentes, caindo 52% entre os mais comentados. Já o Submarino bombou ao aumentar mais de 400%, seguido pela HP (124%) e Amazon Brasil (59%).

Termos que também tiveram aumento nas buscas deste ano foram Kindle (200%) e games (75%). Já entre os itens mais buscados ficaram empatados smartphone e games com  16%, seguido de maquiagem, 12% e TV 11%.

publicidade
Influenciadores digitais

As empresas que mais investiram em conteúdos patrocinados foram: Samsung, Consul, Casas Bahia, Netshoes e Lojas Renner. Inclusive firmaram parcerias com influenciadores digitais.

E nessa seara quem nadou de braçada, figurando no topo da lista como melhores no engajamento, foram respectivamente: Wesley Safadão, Zé Felipe, Gabi Brant, Grazi Massafera e Larissa Manoela. O alcance foi de 5 milhões de engajamentos gerados pelos influenciadores durante o período.

Além destes nomes, mais 5 produtores de conteúdos digitais foram responsáveis por quase 70% dos engajamentos no período. Os 32% restantes foram divididos em mais de 100 perfis segundo a Comscore. Esse percentual é favorável e demonstra que manter parceria com macro e micro influenciadores, também garante alcance de público e consequentemente gera aumento nas vendas.

Brasileiro precavido

Devido à pandemia verificou-se que em via de regra o consumidor brasileiro foi precavido e começou a pesquisa de preços no dia 24 de novembro, bem antes da data oficial da Black Friday (27), dia em que foi verificado o pico de buscas.

Uma curiosidade foi verificada no Twitter entre 26 e 27/11. Na ocasião a hashtag #BlackFriday teve picos em horários distintos: logo a partir da meia-noite, com mais de 16 mil e 700 menções, e no meio do dia 27/11, por volta das 13h, com  pouco mais de 15 mil e 200 menções.

Além disso, o que também cresceu foram as reclamações. A hastag “BlackFraude” bombou alcançando 37 mil postagens. Aumento de 23% em relação ao ano passado, quando foram cerca de 30 mil.

Mas no ‘frigir dos ovos’ o sentimento dos brasileiros foi positivo, o que foi comprovado pelos 65% de comentários positivos, contra 35% de negativas no período.

Emojis

Na Black Friday os emojis também ‘bombaram’. Este 😍 em especial foi muito utilizado pelos varejistas do ramo de eletroeletrônicos, roupas e acessórios. Responder aos consumidores com emojis foi uma estratégia de interação muito adotada nas redes sociais. Já entre os varejistas de móveis e eletrodomésticos, um dos emojis mais usados (não me pergunte o por quê) foi 🤼‍♀️. Será que tem a ver com algumas pessoas encararem a Black Friday como um ringue? 🤔

O relatório da Comscore mostrou variação no comportamento das marcas de um ano para o outro. Em 2019, o ponto alto das reações, comentários, compartilhamentos, retuítes e curtidas foi no dia da Black Friday (29) já neste ano foram pelo menos dois picos de ações nas redes (além da data oficial 27/11, nos dias 24 e 26/11).

Foto: Andrea Piacquadio (Pexels)