DicasJogosPor que algumas propagandas de jogos de celular mentem tão descaradamente?

Zirlene Lemos3 meses atrás11 min

Sabe quando a pessoa reclama que o trailer de um filme ou mesmo de um jogo é muito melhor do que o gameplay? O problema é que as d de jogos de celulares têm crescido num grau muito acima do tolerável. Apesar do universo ser virtual, as estratégias de publicidade são bem reais. Essas propagandas falsas promovem imagens de jogos totalmente diferentes do real, ou seja, o anúncio não precisa ser do que o jogo é, e muitas vezes sequer fazem algum sentido.

Recordar é viver

Se você é um aficionado por games certamente vai se lembrar daquela propaganda, exibida milhares de vezes, de um simpático careca num barco que tenta escapar de perigos ao longo da jornada. Para isso aparecem na tela várias opções, se a escolha for errada daí é ‘faill’. Esse é um dos exemplos de propaganda que mente descaradamente. O problema é que o gamer só verifica o contraste drástico entre o anúncio e a experiência real, depois de iniciado o jogo.

Para escapar dessa ‘furada’, vale uma dica, geralmente as propagandas falsas de jogos aparecem com frases provocativas do tipo: 90% das pessoas não conseguem subir (de nível). Se vir esta frase, não insista, resista!

Print do game do careca no barco que precisa se salvar de perigos no trajeto representa propaganda falsa de jogos móbile - Crédito: Divulgação

Propaganda falsa

Quem joga com frequência sabe que é comum baixar um game gratuito para se divertir no celular. Porém neste caso o barato pode sair caro. Esse clique pode acabar abrindo caminho para o adware –  a ferramenta que permite a exibição de pop-ups e notificações em dispositivos móveis e no PC.

Quando usada de boa fé, essa é a maneira do desenvolvedor do app conseguir renda, monetizando os anúncios além de dar visibilidade ao seu jogo, já que foi baixado de graça. Mas quando há má fé, os anúncios geralmente não reproduzem em nada o conteúdo do jogo, e alguns ainda são muito bizarros. Isso porque há jogos que simplesmente lançam mão do gameplay de outro como se fosse o seu, para incentivar o usuário a clicar e jogar.

Em via de regra os responsáveis pela exibição das propagandas durante os jogos são o Facebook, o Google Ads e as redes que veiculam anúncios de forma segmentada (para pessoas que potencialmente irão instalá-los). Quando o anúncio representa um determinado tipo de jogo, obviamente é direcionado a um certo tipo de público. Isso é o natural das plataformas de anúncios com ou sem propagandas falsas.

Crime sem castigo

Mas por que os anúncios falsos de jogos continuam a ser veiculados? Não existe uma ‘receita mágica’, mas o que as empresas ou desenvolvedores dos jogos fazem é pagar pela veiculação de vários anúncios, igualzinho é feito na TV aberta com o pagamento de anúncios nos intervalos da grade de programação. Ai fica a cargo das plataformas repercutirem diversas vezes, com base na segmentação de público algorítmica, possibilitada pelo universo das ferramentas de anúncio como o Google Ads que mostram  quais estão “funcionando melhor” (devido aos cliques e instalações).

A publicidade é baseada em eventos e mesmo quando o anunciante faz pesquisas e tira conclusões é meio inútil tentar intuir como as pessoas responderão, independente da segmentação de público. É muito mais eficiente experimentar diferentes anúncios e lançá-los a públicos reais. Como acontece na prática.

Infelizmente muitas vezes o público responde a esses anúncios, mesmo que sejam bizarros. De modo que eles continuam em exibição e as empresas por trás deles continuam pagando, o que gera retorno positivo sobre o gasto com publicidade de acordo com as métricas.

Isso explica porque os anúncios falsos de jogos gratuitos se propagaram tão rápido. Mesmo quando o jogo não tem nada a ver com a propaganda, eles continuam rodando, ganhando cliques, dinheiro e visibilidade.

E as plataformas?

Bom pode ser duro admitir, mas se os anúncios ganham cliques, dinheiro e visibilidade, isso significa que as plataformas também estão ganhando dinheiro com sua veiculação, num círculo vicioso.

Por outro lado não é incomum ver uma enxurrada de comentários em postagens criticando propagandas falsas de jogos, além de comunidades inteiras denunciando a prática. Isso demonstra que os usuários estão se tornando mais conscientes com relação à prática enganosa.

Uma coisa é certa: por causa da quantidade de dinheiro gasta com publicidade de jogos para celular, bem como o descompasso entre a propaganda e a experiência real, mais cedo ou mais tarde as plataformas de anúncios vão ter que encontrar mecanismos de coibir tais atitudes. Enquanto isso o YouTube leva “um strike” de monetização por ‘erros do robô’ da própria plataforma. O usuário fica no prejuízo e as empresas de jogos móbile seguem embolsando fortunas com suas propagandas falsas de jogos.

De toda forma fica a dica, se você se sentir incomodado sempre que vir um anúncio falso, lembre-se de reportar à plataforma e ajudar a evitar que mais alguém caia ‘nessa cilada’.