Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

O governo brasileiro pode cumprir o banimento da Huawei no leilão da rede 5G no país, atendendo a pedidos do atual governo dos Estados Unidos, que estão em uma forte guerra comercial com a China. O problema é que as operadoras preveem que, sem a fabricante chinesa envolvida, os custos da tecnologia no Brasil devem ficar bem mais altos.

A Conexis Brasil Digital (antiga SindiTelebrasil), que representa algumas das principais operadoras do país, divulgou um documento na última sexta-feira (27/11) alertando sobre os custos bilionários que essa proibição deve trazer.

publicidade

As empresas de comunicação estavam crentes que as regras do leilão não seriam alteradas, ainda mais após a vitória de Joe Biden nos EUA. No entanto, na última terça-feira (24/11), o ministro das Comunicações Fábio Farias levou os diretores da Anatel a uma reunião com o presidente Jair Bolsonaro para discutir o banimento da Huawei no leilão 5G.

“Ressaltamos a necessidade de transparência de todo o processo, prezando assim pelo princípio fundamental da livre iniciativa presente em nossa Constituição Federal”, diz trecho da nota divulgada pela Conexis.

Ainda diz a nota sobre o possível banimento da Huawei do leilão 5G: “o 5G será um dos principais marcos da revolução tecnológica em curso e um vetor fundamental de crescimento do país. Por isso, um debate amplo e o caráter técnico das decisões associadas serão fundamentais para o futuro da economia brasileira”.

Custos da mudança

Pelas conta das operadoras de celular,  a presença de equipamentos da Huawei já chega a 50% do mercado no Brasil. A Claro teria 55% de seus equipamentos de rede feitos pela chinesa, a Vivo, com 65%, a TIM, 45% e a Oi, 60%. A Nextel, 100%. Ainda segundo o documento, sem a chinesa, a expansão da rede 5G no Brasil ficaria comprometida. A rede chegaria a apenas oito capitais brasileiras nos primeiros anos da implementação.

publicidade

Sobre o possível banimento da Huawei do leilão 5G, a carta finaliza: “Prezando pelo diálogo, reforçamos nossa disposição para contribuir nesta relevante construção da política pública, que levará o Brasil ao futuro com o 5G, e pavimentará a economia 4.0 no país, garantindo continuidade e evolução aos serviços”.

Algumas empresas estimam que o banimento da Huawei do leilão 5G poderia ter um custo de US$ 200 bilhões para que suas tecnologias sejam substituídas pelas de uma concorrente, mas esse valor pode estar superestimado.

A gigante chinesa é acusada pelos EUA de espionar países do ocidente a serviço do governo chinês. Pressões da Casa Branca já fizeram com que a companhia fosse barrada do 5G em países da Europa, como França, Reino Unido e outros. Mesmo assim, a Huawei recebeu a solidariedade da sua maior concorrente pelo mercado 5G, a Ericsson.

Via Telesíntese