Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

O Instituto AzMina, organização sem fins lucrativos que combate vários tipos de violência que atingem as mulheres brasileiras, está lançando um bot no Twitter para ajudar a combater a violência doméstica. Mandando uma DM para o perfil @revistaazmina no Twitter, a usuária é atendida pela assistente virtual Penha, que ajuda a identificar sinais de relacionamentos abusivos, e orienta sobre direitos e maneiras de sair da situação de violência doméstica com segurança.

Além de ajudar a identificar sinais de abuso, o bot Penha aponta serviços de atendimento a mulheres mais próximos da usuária. A assistente virtual aponta locais públicos para denunciar violência (Delegacias da Mulher, Defensoria Pública e Ministério Público), onde encontrar assistência social e pontos de acolhimento (Casa da Mulher Brasileira e centros de referência da mulher), e unidades básicas de saúde e serviços de violência sexual e aborto legal.

publicidade

Além do bot, o Instituto AzMina lançou o app de combate à violência doméstica PenhaS, que já está na segunda versão, em 2019. o PenhaS também traz informações sobre relacionamentos abusivos, além de acesso a voluntárias do Instituto e ferramentas de segurança, como um botão que liga automaticamente para a polícia e liga o microfone de celular para que a vítima possa coletar provas em casos de violência.

Mensagem inicial do Bot Penha

Instituto AzMina analisou centenas de atendimentos a mulheres em situação de violência doméstica

Para desenvolver o bot contra violência doméstica Penha, o AzMina “analisou as centenas de atendimentos realizados nos últimos cinco anos. Entre os principais temas abordados por mulheres de diferentes grupos etários, em todas as regiões do Brasil, estão: dúvidas sobre se o que estão vivendo é ou não um relacionamento abusivo, quais são os tipos de violência contra a mulher previstos na lei brasileira, e onde buscar ajuda”, diz o Instituto.

“As plataformas digitais são um espaço fundamental para a conscientização sobre violência doméstica”, disse Marília Moreira, gerente de projetos do Instituto AzMina. “Nos últimos anos, vimos crescer a confiança de mulheres no uso de aplicativos para o registro de denúncias de assédio e violências. Na conversa com a Penha, a mulher vai saber mais sobre relacionamento abusivo, aprender como ajudar outra mulher nessa situação e receber orientações importantes de serviços gratuitos próximos a ela.”

publicidade

O bot de combate à violência doméstica Penha foi desenvolvido em parceria com o Twitter. “No contexto da pandemia, em que notamos o agravamento dos indicadores da violência de gênero, o acesso a informações e serviços online é fundamental. A parceria surge neste sentido, e reforça o compromisso que temos com o caráter cívico e de promoção de direitos humanos do Twitter”, disse Fernando Gallo, gerente de políticas públicas do Twitter Brasil.

Imagem: PenhaS/AzMina