Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Pode um jogo ajudar a combater a violência doméstica? Se a ideia soa estranha, é uma iniciativa conta com apoio da ONU e de entidades de defesa dos direitos das mulheres. O Mobi Game Enfrentamento à Violência Doméstica é feito para servir como ferramenta que ajuda a identificar comportamentos agressivos nos parceiros  e contribui para o combate à violência de gênero.

Muitas mulheres que encontram dificuldades para identificar comportamentos agressivos dos parceiros, e às vezes, só se percebem em um relacionamento abusivo quando passam a ser vítimas de violência doméstica. Pensando nessas situações, por iniciativa da startup Arbache, foi lançado no final do ano o jogo  cujo objetivo é  informar e gerar dados que demonstrem ações educativas mais assertivas em relação aos cinco tipos de violência discriminados na Lei Maria da Penha, quais sejam – moral, psicológica, física, patrimonial e sexual.

publicidade

Print tela do Game de Violência Doméstica

Usando como recurso animações o game antecipa situações de violência doméstica e ensina a partir de conversa entre duas amigas, Luana e Penha. Penha está numa relação violenta com o namorado, Zé, e Luana, quer ajudá-la. Nesse contexto  entram os jogadores: cada um decide o que Luana vai fazer, em se tratando de situações cotidianas que envolvem ciúmes, violências e inseguranças com foco no relacionamento amoroso entre Penha e Zé.

São lançadas perguntas diretas à jogadora, numa espécie de quiz , que escolhe como cada uma deve agir diante das situações apresentadas. Independentemente da resposta, o game dá explicações sobre o porquê de cada comportamento que não é saudável, explica como denunciá-lo e a melhor forma de ajudar uma mulher que esteja passando pela mesma situação mas não tenha percebido.

Da maneira como foi concebido o jogo pode impactar diferentes gerações de mulheres estimulando-as a enfrentar o problema ao funcionar como um simulador de tomada de decisões. Á medida em que as situações vão acontecendo é possível aumentar  o grau de domínio a respeito do assunto e encarar que há soluções mais assertivas para enfrentar esse problema.

publicidade

O Mobi Game é gratuito e para maiores de 18 anos bastando se cadastrar para começar a jogar. Foi desenvolvido por intermédio do Programa Ganha-Ganha da ONU Mulheres, e pelo Coletivo HubMulher.