Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Já imaginou carregar um celular que cabe na palma da mão? Essa é uma ideia inusitada em tempos em que os smartphones estão cada vez maiores e até dobráveis, mas o lançamento do pequeno Mony Mist certamente vai agradar alguns usuários. Medindo míseros 8,9 por 4,5 cm e pesando apenas 75g, esse já pode ser considerado o menor celular 4G do mundo.

O aparelho foi produzido em crowdfunding e tem design inspirado no iPhone 4. Com esse tamanho diminuto, não dá para esperar que o Mony Mist possua as melhores configurações do mercado, até porque não há espaço físico que suporte as novas baterias e processadores. O site GSM Arena recebeu antes um modelo para avaliação, e nesse post, vamos mostrar qual é a opinião deles sobre o celularzinho.

publicidade
Configurações do pequenino

Antes de mostrar a análise que o GSM Arena fez do Mony Mist, é importante salientar quais são as configurações dele. Devido às suas dimensões minúsculas, o celular tem uma tela LCD de 3 polegadas com resolução de 270 ppi. Na parte traseira, o celular possui uma câmera de 13 MP, já a câmera de selfie, que é bem grande por sinal, possui a singela resolução de 0,3 MP.

Por dentro, o Mony Mist carrega um processador MediaTek MT6735 (que é de 2015) que roda o sistema operacional Android Pie (apelido da versão de número 9). Quanto à memória, o celular tem 3 GB de RAM e armazenamento interno de 32 GB sem espaço para cartão microSD. Sua bateria tem 1250 mAh e ele também possui entrada USB Tipo-C e entrada dupla de cartão SIM.

Não por acaso, design lembra muito os velhos iPhones

A primeira percepção apontada pela equipe do GSM Arena sobre o Mony Mist é sobre o visual do produto. À primeira vista, muitos podem confundir com um iPhone 4 (pelo menos de frente) e a semelhança não é disfarçada, pelo contrário, os criadores dizem que o aparelho foi inspirado no fundador da Apple, Steve Jobs, e que se trata de uma homenagem.

Imagem de demonstração do tamanho do Mony Mist

Imagem demonstrando o tamanho do Mony Mist (Reprodução)

Não é só no tamanho que o celular vai contra as principais tendências em smartphones. O aparelho não é nada fino, possuindo 11 milímetros de espessura. E tudo faz parte do conceito de criar um aparelho “antigo” em tempos atuais. Inclusive o alto-falante na parte debaixo que é puramente estético, já que não funciona ali, mas sim na região superior, aquela que fica próxima à orelha. O mesmo ocorre com o módulo de câmeras que aparenta quatro lentes, mas apenas uma é real.

publicidade

Confira no vídeo abaixo como ele realmente é compacto no tamanho, mas largo na espessura.

Pequeno com grandes problemas

O processador MediaTek MT6735 que dá vida ao Mony Mist foi produzido há quase sete anos, o que diz muito sobre o desempenho do celular. Com ele, é possível ler os emails, usar os apps nativos como calendário, relógio e outros, fazer algumas ligações e até rodar vídeos em resolução 1080p. Agora, não espere que ele vai aguentar uma navegação mais pesada com altas taxas de consumo de mídia.

Jogos, então, é melhor deixar de lado. O GSM Arena testou os games Asphalt 8 e Real Racing 3 (ambos lançados em 2013) e o smartphone até conseguiu rodar, mas superaqueceu ao ponto de ser insuportável segurá-lo na mão.

Sua bateria também tem desempenho fraco, o que já era de se esperar de seus 1250 mAh de potência. Apesar do fabricante alegar que ela é capaz de durar 72 horas, isso só é possível se o Mony Mist ficar em standby com os dados móveis desligados. Em uso, com wifi ou 4G, é possível escrever um email, e realizar outras atividades por um período próximo ao de duração do sol.

Outro pesadelo do pequeno aparelho é usar a tela de toque tão pequena para os apps atuais e para navegação. Os botões ficam pequenos demais, o que torna muito difícil de tocar e ter uma experiência fluída. Além disso, se estiver no navegador e acessar um site com ads grandes, é possível que eles ocupem metade da tela do celular.

Veredito: uma questão de usabilidade

Imagem de divulgação do Mony Mist

É nítido que um celular desses não tem um desempenho espetacular e nem próximo do intermediário para os tempos atuais. Porém, o Mony Mist não foi pensado para ser usado em um contexto de conexão, pelo contrário, sua usabilidade se encontra nos momentos offline. A experiência do smartphone inspirado no iPhone 4 se aproxima, inclusive, aos aparelhos chamados de feature phones.

Isso significa que o celular diminuto foi pensado para ser usado em momentos em que o usuário não quer estar 100% conectado, mas disponível para emergências. Seja em uma festa em que se pretende estar perto dos amigos e aproveitar a conversa cara a cara, seja praticando algum esporte, já que sua grande vantagem é ser extremamente portátil. Inclusive, ele cabe em suportes para treino ocupando menos espaço que os modelos atuais, o que pode garantir uma sensação mais livre.

Imagem: NewsByteApp