Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Em uma live pelo YouTube no sábado, os fundadores da plataforma de gerenciamento de redes sociais mLabs disseram que sofreram censura do Facebook no dia 10/06, quinta-feira da semana passada. No final da tarde daquele dia, o FB tirou do ar quase 40 milhões de posts gerenciados pela empresa, e desativou as contas de todos os funcionários tanto de sua plataforma como do Instagram.

Mudança de regras

Segundo Rafael Kiso e Caio Rigoldi, o CMO e o CEO da mLabs, o problema se deu porque o Instagram de repente decidiu que pedir os logins e senhas de seus clientes para eles poderem usar seus serviços feria seus termos de uso. O mLabs precisa dessas informações para que os clientes possam agendar postar imagens e Stories na plataforma. Como os fundadores apontaram, a decisão inesperada, e que foi implementada sem aviso, veio na esteira do Facebook criando sua própria API para agendamento de stories, algo que a plataforma não oferecia antes.

publicidade

O termo de uso sobre logins e senhas é usado para impedir compra de seguidores, likes automatizados, spam e bots no Instagram, como os próprios fundadores da mLabs disseram na live. Mas a empresa brasileira usa essas informações para mostrar coisas como números de likes, comentários e compartilhamentos na plataforma para seus clientes.

O mLabs deixou claro que não faz coisas como compra de seguidores e likes automatizados, e que os dados coletados são protegidos por criptografia e não são vendidos ou repassados para terceiros. Kiso e Rigoldi também apontaram que essa coleta de informações é permitida pela legislação brasileira de proteção de dados.

Decisão veio da Califórnia

A mLabs entrou em contato com o Facebook, com quem eles trabalham desde 2014, e a empresa foi informada de que a decisão veio da sede do FB na Califórnia. Desde então, os posts voltaram ao ar com a ajuda do Facebook Brasil. Os fundadores da mLabs já têm uma reunião marcada com a direção do FB para resolver a questão, e ter suas contas e a habilidade de agendar stories no Facebook restabelecidas.

publicidade

Como Rafael Kiso, o CMO, argumentou, o Facebook basicamente censurar o mLabs pode ser vista como prática anticompetitiva por parte da gigante do Vale do Silício. Kiso também relembrou o incidente em que o Facebook censurou todos os meios de notícias na Austrália, quando o país votou para que a companhia tivesse que pagar uma taxa para os meios de comunicação que apareciam em sua plataforma. A decisão gerou revolta internacional, e o Facebook acabou tendo que voltar atrás.

Imagem: Jakob Owens/Unsplash