Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

O Teclado Consciente, um app criado pela operadora de telefonia móvel TIM, alertava sobre o uso de termos racistas e, agora, uma atualização reforça a ferramenta, para banir expressões LGBTfóbicas também. Termos LGBTfóbicos foram incluídos no app como parte das iniciativas da empresa para o Mês do Orgulho LGBT.

A ferramenta foi lançada em novembro de 2020 pela operadora, em parceria com a Virgula Consultoria, e fica visível somente quando o usuário digita seus textos em redes sociais ou aplicativos de comunicação, por exemplo, destacando as palavras e expressões consideradas inadequadas. Até antes da atualização, o app havia se voltado ao combate ao racismo, destacando palavras e expressões como “denegrir”, “lista negra” e “cor do pecado”, usadas nas mensagens do dia a dia.

publicidade

O app traz conteúdos explicativos sobre os motivos da linguagem ser classificada como preconceituosa, sugerindo alternativas não pejorativas. Ao clicar em expandir, a pessoa pode ler a explicação completa sobre o termo utilizado e tem a opção de substituir por outra palavra sugerida pelo teclado. Há também palavras e expressões que a ferramenta considera que não devem ser utilizadas em nenhuma circunstância. Nesses casos, o teclado notifica o uso inadequado da palavra, apresenta os motivos que tornam a palavra e/ou expressão inapropriada e sugere sua não utilização.

500 palavras e frases LGBTfóbicas inseridas na atualização do app

Na nova versão, foram inseridas mais 500 palavras e frases LGBTfóbicas, aproximadamente. São exemplos “sapatão”, “baitola” e “traveco”, utilizadas de forma pejorativa para se referir a pessoas LGBTI+. Ao final da correção, no botão de compartilhamento, o usuário pode compartilhar o aplicativo nas redes sociais. Para usar o teclado, não precisa ser cliente da operadora. Basta baixar o app de forma gratuita na App Store (para iPhone, iPod Touch e Mac) ou na Play Store, para aparelhos Android. A atualização é automática para quem já fez o download da primeira versão.

A ideia do app é muito bem vinda, pode ser vista como uma importante ferramenta de combate ao preconceito e está em sintonia com o Mês do Orgulho LGBT. Levando em consideração a maioria dos comentários negativos e comportamentos nocivos que podem ser vistos nos comentários na Play Store (a nota de 3,1 diz mais sobre os ataques carregados de preconceito do que da qualidade do app), realmente, ainda há muito o que ser feito como sociedade.

Imagem: Wokandapix/Pixabay/CC

publicidade