Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Quarto navegador mais baixado por usuários do sistema Android, o UC Browser, que também está disponível para download na App Store, rastreia os passos de quem o utiliza sem aviso prévio. A informação foi revelada pela pesquisadora de segurança Gabi Cirlig, em um relatório divulgado recentemente.

De acordo com a especialista, o UC Browser rastreia todo o caminho do usuário enquanto ele navega na internet, seja no modo normal ou anônimo. O relatório descobriu que as informações sobre as preferências de navegação dos usuários são enviadas para servidores da UCWeb. Elas incluem até endereço de IP, que pode indicar a localização exata do usuário que está utilizando o UC Browser.

publicidade
Ligado com o Alibaba

O UC Browser é um navegador ligado diretamente com o Alibaba Group, empresa de e-commerce chinesa similar ao Mercado Livre, e considerada hoje a maior plataforma de negócios B2B online do planeta. Em seu lançamento, havia a promessa de que os usuários, ao fazerem o download do UC Browser, não teriam suas atividades rastreadas. Por conta disso, explodiu rapidamente em downloads.

Apesar de ser mais popular na China, responsável por boa parte dos 500 milhões de downloads apenas na plataforma Android, o UC Browser rastreia os passos de usuários de todo o mundo, de acordo com o relatório divulgado por Gabi Cirlig. A pesquisadora revelou inclusive que os servidores descobertos por ela como receptores da informação estavam hospedados em território americano.

Segundo Cirlig, embora estivessem registrados na China e com uma extensão ‘.cn’, o que indica a procedência do país, a engenharia reversa apontou a localização nos Estados Unidos. A especialista alertou ainda que os servidores também atribuíram um número de ID a cada usuário para que a atividade em diferentes sites possa ser monitorada.

publicidade

A pesquisadora não soube determinar exatamente o que está sendo feio com os dados coletados, mas compartilhou a descoberta em um vídeo no YouTube, e deixou claro que não se trata de um ato falho. “Este tipo de rastreio é feito de propósito, sem qualquer respeito pela privacidade do utilizador”.

Via Slashgear

Imagem: Gerd Altmann/Pixabay/CC