Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Diz a sabedoria popular que o melhor da festa é esperar por ela. E é assim que muita gente se sente durante o planejamento daquela viagem tão aguardada para o exterior. Após tantos planos, tudo o que você mais quer, no estrangeiro, é poder compartilhar suas experiências nas redes sociais com amigos e familiares. Nessas horas surge a grande questão: ativar o roaming internacional ou comprar um chip pré-pago no local? O que será que vale mais a pena?

Consulte as taxas de roaming internacional antes da viagem

Em primeiro lugar é preciso consultar os valores cobrados pelas operadoras de telefonia celular pelo roaming internacional antes da viagem e, com esses valores em mãos, conferir se cabe no seu orçamento.

publicidade
Vivo
  • Vivo: possui o pacote Vivo Travel para clientes pós-pago, que inclui diariamente Internet, minutos e SMS para usar fora do país. Também dá para contratar diárias avulsas, além daquelas do plano e o valor pode mudar dependendo do local do mundo que em que você se encontra. Para Américas e Europa, por exemplo, o valor é de R$ 39,99 / dia e para Ásia, África e Oceania, R$ 59,99 / dia*.

Clientes de pacotes pré-pagos têm custo diferenciado, dependendo do pacote, com Internet a R$ 2,90 por mega navegado, por exemplo. Para saber mais, basta clicar aqui. O roaming internacional pode ser ativado pelo aplicativo Meu Vivo ou enviando SMS com a palavra TRAVEL WEB para 1515.

Oi
  • Oi: Na Oi apenas os clientes pós-pago podem ativar o roaming internacional antes da viagem e as tarifas são mostradas, com impostos, em dólares. Apesar disso, são cobradas na fatura em reais e mesmo chamadas para números gratuitos (que equivalem ao nosso 0800) podem ser tarifadas.

Os pacotes disponibilizam chamadas de voz (50 minutos) e pacotes de dados (de 1, 2 e 5 GB ou 200 e 500 MB), com valores que vão de R$ 29,90 a R$ 399,90*.

Para ativar o roaming internacional antes da viagem, o cliente precisa ligar *144 do seu celular ou 1057 de um telefone fixo.

Claro
  • Claro: para quem adora viajar, a Claro conta com o Passaporte Américas, Europa e Mundo, que contam com mensalidades de valor fixo por linha a ser pago em plano anual, que custam respectivamente R$ 9,99, R$ 19,99 e R$ 29,99.

Fora esse programa, também há pacotes à parte com franquias de voz (50 minutos a R$ 49,90 nas Américas e R$ 99,90 nos outros continentes) e dados (3 GB a R$ 139,90 nas Américas e 1 GB a R$ 249,90 nos outros continentes). Ao acabar a franquia do pacote de dados, o pacote diário de internet tem valor de R$ 69,90/dia. Pacotes de diárias de internet também podem ser comprados com valores que vão de R$ 39,90 a R$ 69,90.

publicidade

O roaming internacional pode ser ativado pelo *468 ou através do aplicativo Minha Claro antes da viagem.

Tim

  • Tim: clientes pós-pago do Tim Black e Black Família contam com benefícios e pacotes de 20 a 25 GB (nas Américas) com ou sem minutos de ligação. A operadora não deixa os valores explícitos no site, mas podem ser conferidos no sumário do pacote, no final da página. Cada tipo de pacote e destino acaba contando com diferentes opções de valores e dados.

Para ativar o serviço de roaming internacional antes da viagem, o cliente da operadora deve ligar para 041 11 2847-6144. Se já estiver no exterior, pode ligar para +551128476144.

Na viagem, eles não usaram o roaming internacional

José Gracco é diretor de uma operadora de viagens, a Gracco Viagens, e conta que indica sempre aos clientes que vão ao exterior adquirir um chip no local a fim de evitarem surpresas no retorno ao país. “Todos sabemos que o roaming internacional é bem mais caro do que o nacional e há empresas de telecomunicação com serviços e produtos que podem, inclusive, ser contratados antes da viagem”, ensina, “vale a pena consultar preços, oferta de serviços, reclamações e comentários nas redes sociais antes de tomar essa decisão”.

Entre novembro de 2014 e dezembro de 2015, Ticiana Ghiel e seu esposo Marcos Pereira passaram 410 dias dando a volta ao mundo. Dessa experiência nasceu o site Escolha Viajar, do qual é editora.

“Visitamos 34 países e nenhuma vez, durante toda a viagem, ativamos o roaming internacional. Sempre que íamos passar mais de 10 dias em um mesmo país, comprávamos um chip de internet local e, se fossemos passar menos tempo, usávamos apenas as redes de Wi-Fi disponíveis gratuitamente, como as de hotéis e restaurantes”, conta. Na época, poucas operadoras contavam com roaming internacional para tantas partes diferentes do mundo e as que tinham o serviço, tinham preços exorbitantes, segundo a profissional.

Diária pode custar mais de R$ 100

Durante a pesquisa pré-viagem, Ticiana diz que pesquisou sobre o roaming internacional e foi informada de uma diária na Europa poderia custar mais de R$ 100, embora fosse mais fácil do que, em cada país, “ir até uma loja, entender como cada chip funcionava —  ainda mais falando em inglês –, comprar e ativar”. No entanto, ela não se arrepende e diz que nunca ficou com ao menos um celular desconectado do resto do mundo e a economia foi considerável.

“Os valores e coberturas melhoraram muito desde a nossa volta ao mundo. Há também chips internacionais, cujo preço é um tanto salgado, mas que são entregues na sua casa antes da viagem e você sai do Brasil com ele ativado para funcionar em vários países. Foi nossa opção quando visitamos Portugal em 2017 e a França em 2018”, conta, lembrando que cada turista deve levar em conta seu estilo, seu orçamento e o quanto precisa da internet para decidir entre ativar o roaming internacional, comprar um chip antes ou durante a viagem.

Chip internacional em casa

Ivan Botelho Jr é CEO de uma empresa que presta justamente esse tipo de serviço, a Uni Global Telecom. Ele conta que muitos turistas, por barreiras do idioma, acabam enfrentando dificuldades na hora de comprar um chip no exterior e sua empresa, uma operadora de telefonia com sede na Espanha, foi uma das pioneiras em habilitar chips internacionais antes mesmo da viagem.

“Os valores praticados são similares aos valores encontrados nos países de destino e, também, são oferecidos por um valor único de acordo com o número de dias de tarifas de uso ilimitado, proporcionando despreocupação ao usuário”, explica.

Por conta da crise turística causada pela pandemia, Ivan diz que muitos países estão adotando passaporte convite, um app móvel que as autoridades usam como triagem em países estrangeiros. Nesse contexto, poder contar com conexão para falar com familiares ou mesmo autoridades diante de uma emergência em país estrangeiro é uma comodidade para o turista, trazida pelo chip internacional que recebeu em casa.

*Preços de maio de 2021, podem sofrer alteração sem aviso prévio.

Imagem: Maria Orlova/Pexels/CC