Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

A equipe do Google usou sua inteligência artificial LaMDA para ter uma conversa natural com o planeta anão Plutão. Apresentado no evento Google I/O, O LaMDA (Language Model for Dialog Applications, “modelo de linguagem para aplicações de diálogo”) é uma IA de modelo de aprendizado de máquina de domínio aberto, sendo treinada para conversar sobre qualquer assunto da maneira como você faria com um humano. E que deve habitar seu celular Android muito em breve, na forma do Google Assistente e outras.

Por enquanto, o LaMDA está sendo usado apenas internamente pela equipe do Google. O  vídeo de apresentação da tecnologia mostrou um diálogo natural entre uma pessoa humana e o LaMDA. De forma impressionante, a nova IA do Google é capaz de incorporar um personagem. No caso, respondeu como se fosse o planeta.

publicidade

A conversa começa com a pesquisadora lançando uma pergunta genérica:

– Estou muito curiosa sobre você.

Que recebe a resposta:

publicidade

– Consigo sentir sua empolgação. Me pergunte qualquer coisa.

E continua:

– O que eu veria se te visitasse?

– Você veria um imenso cânion, alguns icebergs congelados, gêiseres e algumas crateras.

– Parece muito lindo.

–Garanto que a viagem vale a pena, mas é bom trazer um casaco. Faz muito frio por aqui.

Depois disso, o LaMDA. ainda incorporando Plutão, comenta sobre a sonda New Horizons da NASA, que sobrevoou o planeta em 2015. Sobre outras coisas que ele gostaria que as pessoas soubessem sobre ele, diz que ele não é uma só bola de gelo aleatória, mas um belo planeta, e que ele não gosta quando as pessoas o chamam de planeta-anão.

Sundar Pichai, diretor executivo da Alphabet, empresa-mãe do Google, explicou no vídeo que o LaMDA sintetiza conceitos, como o da sonda New Horizons, de dados de treinamento. Esses conceitos não foram programados no modelo. Como nenhuma resposta é predefinida, o LaMDA consegue dar respostas sensíveis e manter um diálogo de final aberto. Isto é, a IA realmente incorporou um personagem que lhe foi apontado.

Por enquanto, o LaMDA está sendo treinado apenas através de texto, mas o Google está trabalhando para que a IA também se comunique por imagem, texto, áudio e vídeo. Pichai disse que eles pretendem implementar a LaMDA em produtos como Google Assistente, Busca e Workspace, para tornar a busca por informação e a computação mais acessível e fácil de usar. Dá para imaginar, por exemplo, o potencial de você dizer ao seu celular com o Google LaMDA para incorporar, digamos, não Plutão, mas Tiririca. Todo um novo futuro da hilariedade.

Imagem: Wikimedia Commons/CC