Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

A empresa de cibersegurança PSafe realizou uma busca na Play Store e encontrou 49 apps não-oficiais da Caixa Tem e do Auxílio Emergencial. Os especialistas em segurança da empresa analisaram os apps e descobriram que todos têm finalidade informativa, como ensinar a se cadastrar no auxílio, mas isso não quer dizer que eles são totalmente seguros. Segundo a análise da PSafe, aplicativos não-oficiais da Caixa e do Auxílio já acumulam mais de 5 milhões, 224 mil downloads.

“É uma prática comum dos cibercriminosos criar aplicativos que usem indevidamente os nomes de outros serviços para atrair o público”, escreveu o diretor do dfndr lab, o laboratório de segurança da PSafe, Emilio Simoni. Mas esses aplicativos não-oficiais podem ser modificados pelos desenvolvedores, e usados depois para roubar os dados que o usuário digita neles para obter as informações.

publicidade
Apps não-oficiais da Caixa

Os aplicativos oficiais da Caixa Tem e do Auxílio Emergencial são os dois com borda verde na imagem, os outros são considerados riskware pela PSafe.

“Apesar de, no momento, esses apps não apresentarem comportamento malicioso, há chances deles terem suas características modificadas através de uma atualização, e apresentarem riscos para os dados dos usuários”, alerta Simoni. Apps não-oficiais da Caixa e do Auxílio Emergencial são considerados riskware, já que há esse risco de serem modificados com más intenções.

Apps falsos e não-oficiais da Caixa apareceram antes mesmo dos oficiais

Como Simoni apontou, seu laboratório de cibersegurança já tinha encontrado aplicativos falsos e não-oficiais da Caixa e do Auxílio Emergencial antes mesmo do governo lançar os apps reais para acessar o benefício. “Detectamos mais de 250 apps falsos ou não-oficiais, que utilizavam indevidamente o nome do Auxílio Emergencial para atrair pessoas que desejavam fazer o cadastro. Muitos deles, após reunirem milhões de downloads, tiveram suas características modificadas e se tornaram meios para roubo de dados”, disse o especialista.

Para se proteger de apps duvidosos do auxílio emergencial, a PSafe recomenda buscar links para baixar os apps de sites oficiais do governo e do banco em questão, verificar o nome do desenvolvedor do aplicativo e ler as avaliações dos usuários, e nunca fornecer dados pessoais ou bancários para aplicativos que você não ter certeza se são oficiais. A PSafe também oferece seu próprio app de detecção de malware para Android, o dfndr security.

Imagem: Marcelo Camargo (Agência Brasil)

publicidade