Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

A Netflix lançou nesta terça-feira (27/04) a personagem virtual N-ko, que passará a apresentar os animes disponíveis na plataforma. Com ela, o serviço de streaming tenta apelar à ascensão das “VTubers” (youtubers virtuais animados por computação gráfica), no Japão. Vale observar que, por lá, essas personagens já figuram entre as streamers mais assistidas do país.

Em sua apresentação, N-ko Mei Kurono diz ser uma “forma de vida humana ovina” nascida na Califórnia. Ela explica que a personagem será interpretada por uma funcionária da empresa (ou funcionário? a empresa não deixa claro) que “conhece o conteúdo muito bem”. “Por isso posso falar do charme do nosso anime minuciosamente”, completa.

publicidade

A ascensão das VTubers no Japão acontece no fim dos anos 2010, com o sucesso de personagens como Kizuna Ai e Usada Pekora. Trata-se de avatares digitais criados em programas como o Live2D que emulam emoções humanas e incorporam  características da cultura popular nipônica, como animes e mangás. Boa parte delas são antropomórficas (isto é, seres que reúnem características humanas e animais).

Em busca de assinantes no Oriente

A apropriação de uma VTuber de animes à Netflix acena para o engajamento de assinantes no Extremo Oriente. Na visão de executivos na empresa, a indústria do entretenimento no Ocidente ainda não explora plenamente a capacidade comercial dos desenhos japoneses. Para o co-diretor executivo da Netflix, Theodore Sarandos, tanto o anime japonês quanto o drama coreano “funcionam muito bem na região e podem se tornar muito, muito globais em seus interesses e desejos.”

No último fim de semana, o lançamento do filme de ação Demon Slayer, da Toho, teve uma ótima repercussão no público americano. No Brasil, a série que antecede o longa estreou no último dia 22 e também obteve boa audiência, tornando-se uma das dez atrações mais vistas na plataforma durante a semana.

publicidade

Via Reuters