Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Em seu blog oficial, o Facebook anunciou que irá bloquear conteúdo de ódio em suas redes com relação ao caso de George Floyd. A empresa não costuma se posicionar politicamente, mas desta vez comentou que pretende barrar qualquer comportamento racista ou que incentive a violência nos feeds.

Conforme se aproxima o dia do veredito de Derek Chauvin, ex-policial branco de Minneapolis (EUA) que matou Floyd sufocado em ato considerado racista, Zuckerberg está receoso que ondas como as do Capitólio possam se formar por meio de suas redes. Com isso, tanto o Facebook como o Instagram devem bloquear conteúdos racistas ou violentos quanto ao caso de George Floyd seguindo uma política de nível de risco. Derek Chauvin é considerado uma figura pública, assim, conteúdos sobre ele também irão passar por restrições, mas como George Floyd foi assassinado, posts sobre ele são considerados de maior risco, por isso postagens sobre ele ou sua família passaram por análise mais rigorosa.

publicidade

Grupos, usuários e conversas com discurso de ódio serão banidos

Grupos, usuários e conversas voltados para esse tipo de conteúdo violento estão sendo banidos. Postagens com informações falsas sobre o caso devem receber uma tarja avisando sobre desinformação, bem como imagens devem ser derrubadas ou receber tarjas de acordo com o nível de violência que mostrem. Segundo a empresa, a região onde o caso aconteceu é considerada de alto risco no momento, por isso está sendo mais vigiada.

No post oficial, a vice-presidente de política de conteúdo do Facebook, Monika Bickert, comentou que “será permitido que as pessoas comentem o processo e apresentem críticas sobre o caso ou os envolvidos”, já que a rede social se declara como lugar de livre discurso. Contudo, ela pontuou que o Facebook irá trabalhar para manter o equilíbrio entre o que as pessoas dizem e o que é segurança pública, já que o caso tem sido doloroso para muitas pessoas.

Via NY Times e Forbes

Imagem: Logan Weaver/Unsplash/CC

publicidade