Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Novos movimentos da Apple envolvendo novos recursos para o app Buscar mostram mais preparação de terreno para o lançamento das AirTags. Prometido desde o ano passado, a gigante de Cupertino está finalmente permitindo que dispositivos e tags de terceiros sejam localizáveis pelo aplicativo oficial de rastreamento dos iPhones e iPads.

Os primeiros produtos a entrarem na lista de compatibilidade são bicicletas da start-up VanMoof, um fones de ouvido sem fio da Belkin, e tags da Chipolo. Empresas interessadas em tornarem seus produtos rastreáveis no Buscar devem atender a todos os requisitos de segurança expostos nas diretrizes de criação de acessórios para o ecossistema iOS.

publicidade

No Brasil nenhum desses dispositivos está disponível hoje, mas ainda assim a notícia é boa porque a liberação de empresas terceiras no app Buscar deverá impulsionar sua adesão por fabricantes de acessórios inteligentes. Assim, futuramente não apenas fones da Belkin poderão ser rastreáveis pelos iPhones e iPads, por exemplo, mas também de outras marcas. O usuário que possui um dos dispositivos já compatíveis só precisa atualizar o app no iOS, e então adicionar seus gadgets.

Como é sabido, o rastreamento acontece via protocolo Bluetooth, com aparelhos da Apple criando uma verdadeira rede colaborativa para troca de informações, até que um acessório perdido consiga repassar informações de geolocalização ao smartphone do seu dono, de forma segura. Os iPhones mais modernos contam ainda com tecnologia de melhor precisão por ondas ultra largas (UWB), que também poderá ser utilizada — futuramente — por terceiros, que deverão implementá-la já na concepção do chip de seus produtos.

Sendo assim, a Apple abre as portas do app Buscar para que usuários utilizem recursos que estarão disponíveis também nas AirTags. Vazamentos indicam que as tags da Maçã terão preço por volta dos US$ 40. Com um histórico muito bom de vendas dos seus acessórios, Tim Cook deve ter avaliado que isso em nada atrapalhará a estratégia futura da companhia.

Via Slash Gear

publicidade