Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

A Amazon atualmente disponibiliza sua plataforma de telessaúde, o Amazon Care, apenas para os funcionários do Estado de Washington. Mas isso está prestes a mudar. Duas fontes confidenciaram ao Business Insider, sob condição de anonimato, que o sistema será oferecido a outros trabalhadores em todo o território dos Estados Unidos.

A Care Medical, plataforma responsável pelo segmento de telessaúde da Amazon, já contatou os órgãos reguladores de 28 Estados, mas quer contemplar todos os 50. Para isso, de acordo com a reportagem, a Amazon estaria disposta a trabalhar com outras empresas e também oferecer o Amazon Care aos funcionários delas.

publicidade
Objetivo claro

Ao abrir a possibilidade de ampliar os serviços de telessaúde, a Amazon deixa claro, pela primeira vez, qual o principal objetivo com o Amazon Care: entrar de cabeça em um segmento lucrativo, que é o da Saúde, e que movimentou mais de US$ 3,8 trilhões. As fontes não confirmaram, no entanto, se a ideia da Amazon é expandir somente o app de telessaúde ou também os atendimentos presenciais, como faz em Washington.

Em 2020, quando saiu de Seattle para Washington, o Amazon Care “levou” para o maior Estado apenas os aspectos virtuais do serviço, como mensagens, consultas online e prescrições médicas também remotas. As visitas médicas não foram incluídas, pois a Care Medical não tinha condições de atender tamanha demanda.

Agora, com o crescimento da Care Medical, a Amazon está com o caminho pavimentado para implementar seu plano de se firmar na área de telessaúde. Logo no início da pandemia, o grupo já havia entrado com um pedido para atuar em 17 Estados além de Washington, número que vem crescendo cada vez mais.

A ideia é que um médico em Rhode Island, por exemplo, forneça atendimento para um paciente em Massaschussets, desde que tenha licença para atender nos dois Estados, conforme explicou Marschall Smith, diretor executivo da Interstate Medical Licensing Compact Commission. Segundo ele, as regras estaduais que regem a telessaúde foram relaxadas durante a pandemia do coronavírus, eliminando ou reduzindo as regras para a prática entre os Estados.

publicidade
Redução de custos

O Amazon Care nasceu para diminuir os custos da empresa de Jeff Bezos com saúde. Apesar de não divulgar abertamente os números, foi essa a razão que levou a empresa a criar um sistema próprio de telessaúde para cuidar de seus mais de 1,3 milhão de funcionários. O Wallmart, por exemplo, teve seu segundo maior gasto com funcionários o valor pago em planos de saúde, e as empresas dos Estados Unidos gastam cerca de US$ 880 bilhões em saúde a cada ano com seus empregados.

“Se você puder obter visitas do departamento de emergência para o ambiente de atendimento de urgência e depois visitas de atendimento de urgência para a casa, você está economizando muito dinheiro com isso, o suficiente para que valha a pena levar um médico até sua casa”, comentou o analista de mercado de saúde Jeff Becker. A Amazon parece ter entendido o recado.

Via Business Insider

Imagem: Andrey Popov/iStock