Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Os golpes online estão cada vez mais em alta. Para ajudar você a ter um 2021 mais cyberprogetido selecionamos 10 dicas que poderão te ajudar a se proteger do roubo de identidade e outros perigos. Listaremos a seguir dicas selecionadas por Fabio Assolini, analista de segurança sênior da Kaspersky, empresa especialista em segurança digital.

“Peço que todos reavaliem seus hábitos online, tendo como referência os riscos que a informação vazada pode representar em sua vida. As pessoas não têm o conhecimento de como preferências pessoais, dados cadastrais ou situações de sua rotina podem ser usadas contra elas”, alertou Assolini. Segundo o especialista, quatro simples e pequenos passos, ao alcance até do usuário mais leigo, que navega na internet por pura diversão, sem qualquer cuidado, podem ser usados para, ao menos, tentar se proteger um pouquinho mais do roubo de dados, cada vez mais comum à nossa volta.

publicidade

Vamos a eles:

  1. Anti-phishing:  phishing é o envio de links falsos e maliciosos, como ofertas de emprego, promoções, exigências de “recadastro”, por e-mail ou SMS. A dica, nesses casos, é bem simples: não clicar no link, a menos que você conheça e tenha certeza de sua procedência.
  2. Permissões de aplicativo: quanto menos dados você permitir que o app tenha acesso, menor a possibilidade de eles serem compartilhados ou armazenados por terceiros sem o seu conhecimento. Então, se você não está certo sobre a segurança de um app, não dê a ele essas permissões.
  3. Autenticação em dois fatores:  “Lembre-se de que é mais seguro usar um aplicativo que gera códigos únicos do que receber o segundo fator por SMS. Se precisar de segurança adicional, invista em uma chave de hardware 2FA”, orientou. Você já aprendeu com a gente como se faz, aliás.
  4. Pense antes de compartilhar: o quarto e último passo indicado pela Kaspersky para você se proteger do roubo de identidade é, na verdade, o mais simples e, ao mesmo tempo, o mais complicado: “Sempre considere como o conteúdo que você compartilha na internet pode ser interpretado e usado por outras pessoas”. Falar demais de si facilita alguém a se passar por você. Se você passa em público um contato para o Pix, por exemplo, está dando seu CPF pra qualquer golpista.
Quanto você vale aos criminosos?

A Kaspersky realizou recentemente um levantamento no qual apontou quanto valem alguns dados pessoais que constam em documentos pessoais na dark web, o mercado ilegal da internet. De acordo com o relatório, a partir de US$ 0,50 (aproximadamente R$ 2,8) é possível comprar carteiras de identidades ou credenciais de acesso às plataformas de streaming. E o RG é apenas um dos muitos documentos disponíveis para os cybercriminosos na internet. De acordo com o relatório Dox, roubo, revelação: onde seus dados pessoais vão parar?, o leque de opções na dark web é extenso, e os preços podem chegar até a US$ 800 (R$ 4.470).

A carteira de identidade, como já citamos, custa a partir de US$ 0,50, mas pode chegar a US$ 10 (R$ 55,8), e pode ser usada em uma infinidade de golpes para fins criminosos. As digitalizações de passaporte podem custar entre US$ 6 (R$ 33) e US$ 15 (R$ 83). Uma carteira de habilitação sai entre US$ 5 (R$ 27) e US$ 25 (R$ 139).

Já uma selfie com documentos, hoje bastante utilizada para abrir contas em bancos digitais, custa entre US$ 40 (R$ 223) e US$ 60 (R$ 335). Uma conta de PayPal pode chegar a US$ 500 (R$ 2.790), enquanto acesso a e-mails e redes sociais vale até US$ 800 (R$ 4.470). E aí: é ou não importante tomar cuidado e fazer tudo para se proteger do roubo de identidade?

publicidade

Imagem: Gerd Altmann/Pixabay