Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Enquanto nos últimos anos a Sony protagonizou um momento difícil com a linha Xperia pela baixa vendagem dos produtos, agora é a LG que parece viver uma crise nessa divisão de produtos. Um portal sul-coreano revela que, internamente, a LG abandonou o projeto Rainbow, que seria seu próximo smartphone flagship.

O Rainbow viria para retomar a posição de mercado que a LG havia deixado vaga ao não lançar sucessores para os LG V60 ThinQ e G8 ThinQ em 2020. No ano passado a fabricante optou por lançar o LG Velvet, intermediário com características premium, como tentativa de dar novos ares ao seu catálogo e impulsionar as vendas. Assim, ela ficou sem um smartphone de alto desempenho para competir com rivais como os Samsung Galaxy Note 20, Asus Zenfone 7 e outros.

publicidade
LG e o vai não vai

Desse modo, é bastante provável que a LG passe 2021 sem muitas novidades, se concentrando em continuar vendendo aparelhos de custo mais baixo como os da linha K. A Lenovo fez isso por um bom tempo com os produtos da Motorola. Mas, nesse caso, os Moto G sempre foram uma certa febre, e deixar de fabricar flagships possivelmente não atrapalhava os planos de longo prazo da companhia.

Fato é que sair do mercado de tops de linha não parece ser uma estratégia do segmento de dispositivos móveis da sul-coreana, já que com certa frequência escutamos informações de bastidores sobre isso. Esse vai não vai é um sinal de que a divisão está mesmo sendo pressionada a cortar gastos, com o abandono do LG Rainbow sendo apenas o episódio mais recente desse imbróglio.

Vale lembrar que o celular com tela enrolável da LG, o Rollable, também não deverá sair do papel. Com esses dois projetos adiados indefinidamente, a fabricante deverá diminuir suas expectativas e concentrar suas vendas em dispositivos de entrada e intermediários até que os executivos da empresa batam o martelo sobre a continuidade ou não do segmento de smartphones.

publicidade