Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Pesquisadores do Karlsruhe Institute of Technology na Alemanha, desenvolveram uma tela biodegradável que poderá, inclusive, ser usada diretamente na pele. As telas sustentáveis podem diminuir o uso de recursos e minimizar a produção de resíduos. Baseados em materiais biodegradáveis, as telas poderão ser compostadas após terem sido usadas e descartadas, sem se tornarem sucata eletrônica.

A tela funciona sob o princípio do efeito eletrocrômico. Ou seja, quando a tensão passa pelo monitor, a absorção de luz é modificada e o material muda de cor. Além de possuir uma composição que permite uma produção bastante reduzida de resíduos, a tela exige relativamente pouca energia para funcionamento. O consumo é menor que o de tecnologias usadas em monitores que já disponíveis no mercado, como LED, LCD e papel eletrônico.

publicidade
Impressão a jato de tinta e gelatina para grudar na pele

Os monitores podem ser produzidos de maneira personalizada por meio de impressão a jato de tinta, com baixo custo de material. Por conta da selagem feita com gelatina, a tela se torna adesiva e flexível, o que a permite ser utilizada diretamente na pele humana.

Entretanto, pela condição de ser um dispositivo desenvolvido com material biodegradável, o seu tempo de vida útil fica limitado a aplicações de curta duração. Impossibilitando, por exemplo, seu uso em smartphones e outros aparelhos mais duráveis. Porém, permitindo que a tela seja utilizada em diagnósticos médicos, onde a higiene é beneficiada pelo seu descarte ecológico após ter sido aplicada sobre a pele do paciente.

Há também seu possível uso para monitoramento de qualidade em embalagens de alimentos, onde o reaproveitamento não é permitido. Após um determinado tempo, o monitor sofre o desgaste natural, sinalizando um prazo de consumo alcançado.

São inúmeras aplicações possíveis e imagináveis com a tela biodegradável desenvolvida pelos pesquisadores da universidade estatal alemã. O que abre caminho para muitos outros avanços ecologicamente sustentáveis. Para acessar o conteúdo científico publicado na Royal Society of Chemistry, uma importante sociedade científica do Reino Unido, clique aqui.

publicidade

Via SlashGear