Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

O Xiaomi Mi 11 ainda não foi disponibilizado para o mercado global. Mas, em sua China natal, ultrapassou a marca de 1 milhão em vendas rapidamente. Chang Cheng, vice-presidente do grupo, foi à rede social Weibo comemorar o recorde, estabelecido em apenas 21 dias. Definitivamente o que comemorar, já que o Mi 11 custa, no mercado local, 3.999 yuan (R$ 3.338, na conversão direta), bem mais do que a média dos smartphones disponíveis no País.

O flagship vendeu 350 mil unidades no dia em que foi lançado. Em cinco minutos, após ter as vendas oficialmente liberadas no dia 1º de janeiro deste ano. As vendas fizeram a Xiaomi iniciar 2021 com 1,5 bilhão de yuan (R$ 1,25 bi, na conversão direta) recheando as contas da companhia e mostrando que o lançamento global pode ser um passo acertado a se tomar em breve.

publicidade
Pioneiro no 888

Qual o segredo do Xiaomi Mi 11 atingir esse número de vendas? Ser o primeiro celular a adotar o Snapdragon 888 certamente contribuiu para sua reputação de atual Ferrari dos androids. O Mi 11 chegou às mãos de seus mais de 1 milhão de usuários com tela AMOLED de 6,81 polegadas, 2K, proteção Gorilla Glass Victus e taxa de atualização de 120 Hz. Sob o capô, o 888 é acompanhado, em sua versão mais top, por 12 GB de RAM e 256 GB de armazenamento interno – ele também é oferecido com 8 GB de RAM + 128 GB de armazenamento ou 8 GB de RAM + 256 de armazenamento.

Além das especificações acima, o Mi 11 tem Android 11, bateria de 4600 mAh, com suporte para carregamento rápido de 55W (com fio), 50W (wireless), além de carregamento sem fio reverso de 10W. A câmera tripla traseira é uma atração extra, com sensor principal de 108 megapixels, uma lente ultrawide de 13 MP e uma tele de 5 megapixels. Na frente, a lente de selfie oferece 20 megapixels, que também dá um “up” nas cada vez mais comuns videochamadas.

Depois do sucesso nas vendas, fica a expectativa pelo lançamento da variante mais “invocada” do flagship da Xiaomi, o Mi 11 Pro, especulado para chegar em fevereiro. Antes, porém, quem pode pintar é o Mi 11 Lite, segundo a fabricante.

Via Playfuldroid e GizmoChina

publicidade