Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

O novo celular chinês ZTE Axon 20 5G começou sua venda global hoje e as análises não são muito boa. Principalmente quanto às suas câmeras. E isso não é um detalhe: o modelo é o primeiro do mundo a trazer uma inovação que, em tese, pode se tornar tendência daqui pra frente: câmera embaixo do display. Isto é, invisíveis, você só enxerga uma tela, mas a câmera está atrás. E mesmo que a Oppo tenha sido a primeira a anunciar um smartphone com essa tecnologia, a concorrente se antecipou, mas, com a liberdade da expressão, acabou queimando a largada.

Com preço e especificações de intermediário, o dispositivo está ganhando o mercado global lentamente. Por enquanto, somente alguns países estão recebendo as vendas do produto, dentre eles a Inglaterra. A companhia prevê expandir seu mercado no início de 2021, o que pode fazer com que ele chegue às Américas. Alguns sites britânicos especializados em tecnologia já adquiriram sua versão e fizeram breves avaliações do ZTE Axon 20 5g e nós apanhamos os principais prós e contras.

publicidade
Design controverso

Um dos elementos do novo celular que gerou opiniões diversas é seu design. E um dos principais pontos é o fato de ter sido projetado para incluir a câmera debaixo do display. Com isso, é normal se presumir que e haverá um destaque para o design do modelo, entretanto não foi o que ocorreu. Enquanto alguns reviews passam batido por isso, o texto de Mike Lowe do Pocket Lint pontua bem o fato.

Foto da lateral do ZTE Axon 20 5G com suas câmeras

Bordas espessas e lateral grosseira do novo modelo (Fonte: Tom’s Guide)

Nele, o autor comenta que as bordas espessas acabam por reduzir o potencial da câmera “escondida”. Sem entradas para fones de ouvidos, o aparelho apresenta suporte para USB Tipo-C e alto-falantes na parte de baixo, bem como botões laterais e espaço para o cartão SIM. E, ao olhar as fotos do site Tom’s Guide, notei que as laterais e as bordas parecem grosseiras, talvez minha percepção se puder tê-lo em mãos.

Imagem da traseira e das câmeras do ZTE Axon 20 5G

Traseira do ZTE Axon 20 5G com brilho no vidro e marca assinada (Fonte: Tom’s Guide)

Quanto à sua traseira, Richard Priday, que escreve para o mesmo site das fotos, comenta que o tom preto é pleno, porém recebe uma interferência do vidro. É que a ZTE aplicou efeitos na película que geram ondas ao refratar a luz, como nota o autor. As câmeras são alinhadas verticalmente em um nicho retangular no canto superior direito, como dá pra ver. Tanto a marca como o modelo estão grifados visivelmente na parte de trás. Já o tamanho do celular é outro ponto delicado. Com 6,9 polegadas, o aparelho é grande e Richard aponta que para acessar todos os ícones é preciso mudar a orientação do Axon 20.

Foto revela câmera debaixo do display do ZTE Axon 20 5G

Com fundo escuro, câmera debaixo do display é pouco visível (Fonte: Pocket Lint)

Tela clara revela câmera debaixo do display do ZTE Axon 20 5G

Na tela clara, a câmera debaixo do display fica bem aparente. Detalhe para a interface MiFavor (Fonte: Tom’s Guide)

Outro detalhe importante é que a câmera debaixo do display não foi tão bem “escondida” assim, como apontaram todos os textos. David Imel, do Android Authority, comenta que ao usar wallpapers com a parte de cima escura, dá pra esconder bem o quadrado pixelado que aparece onde a lente ficaria. Já Adam Conway escreve no XDA Developers que existe uma maneira de superar esse borrão que é configurando a barra de status como preta. Assim fica bem menos perceptível (em suas palavras).

publicidade
Desempenho

Tanto o site Tom’s Guide como o Pocket Lint concordam sobe  o desempenho do ZTE Axon 20 5G. Por ser um intermediário movido a Snapdragon 765G, ele entrega uma boa performance ao rodar vídeos e games com gráficos 3D na opinião dos dois autores. Richard (Tom’s Guide) comenta, inclusive, que o sistema de refrigeração não deixou o celular esquentar enquanto utilizava ou quando deixou carregando. E para acompanhar o trabalho do processador, sua bateria se revela potente. Com Mike Lowe (Pocket Lint) escreveu que com 14 horas de uso seguidas, foi gasto apenas 50% do total, o que indica que deve aguentar dois dias com uso moderado (palavras do autor).

Sua interface de usuário é a MiFavor que é baseada em Android 10. E como os dois autores descrevem, apesar de não apresentar os recursos do modelo mais recente do sistema operacional do Google, o MiFavor é decente em usabilidade. Richard aponta que o design é agradável e é pratica de usar, já Mike apontou que ela vem sem alguns defeitos que outras versões chinesas possuem, além de revelar que ela possui mecanismos para controlar o uso do 5G e da frequência de atualização da tela.

Calcanhar de Aquiles

Estranho de se pensar que num celular que promete câmera debaixo do display não tenha dedicado boas configurações para suas lentes, mas é o que acontece no ZTE Axon 20 5 G segundo todos os reviews pesquisados nesta matéria. O conjunto de câmeras traseiras decepciona em todos os testes que os autores fizeram, e Mike Lowe ainda questiona a necessidade de serem 4 lentes. Ele aponta que dos sensores de 2 MP, um deles é de uma macro com baixa resolução, sem autofoco e difícil de usar, o outro não tem muita qualidade de imagem. O modelo de 8 MP é uma grande angular com desempenho abaixo do mercado.

Foto retrato com câmeras do ZTE Axon 20 5G

Foto no modo retrato com a câmera embaixo do display. Note como fica borrado. (Fonte: Pocket Lint)

Outro tópico que fracassou em todas as análises é a sua novidade. A câmera de selfie embaixo do display entrega fotos com efeito borrado, deixando os detalhes não muito visíveis, além de parecer suja e com muitos grânulos como comenta David Imel. Para o Tom’s Guide, Richard escreveu que mesmo com os efeitos de beleza padrão desligados, o resultado não é muito bom.

Foto iluminada retrato com câmeras do ZTE Axon 20 5G

Foto com a câmera em ambiente mais iluminado permanece com grânulos e “sujeira”. (Fonte: Android Authority)

Mike Lowe escreve que o que salva é seu sensor traseiro de 64 MP. Com tecnologia four-in-one pixel, ele consegue entregar imagens decentes, com um nível de detalhamento interessante e bom balanço de cores e luminosidade. Até no modo noturno seu resultado é impressionante com relação às demais, segundo o autor.

Veredito

Mesmo sem sequer ter tocado no novo ZTE Axon 20 5G, pelas análises que reuní para esta matéria e com base no que pude perceber pelas imagens, acredito que na corrida para lançar uma novidade no mercado que possa fazer da sua marca mais visível, fica claro que a ZTE queimou a largada. Ao lançar o primeiro celular com câmera embaixo do display, mesmo antes da Oppo, a empresa foi precipitada. Com essa novidade, era esperado um aparelho com ênfase no design e nas fotos, o que não ocorre como pontuou Mike Lowe para a Pocket Lint.

Além disso, penso que a empresa poderia ter dedicado mais tempo para desenvolver como realmente esconder a lente embaixo do display e, ainda assim, entregar boas imagens. Se você se interessou pelo smartphone, ele vai ganhar novos reviews completos. Seu preço atual é de US$ 449 (o que dá em torno de R$ 2 289) e chegar às Américas no ano que vem.

Texto feito com base nos textos de Pocket Lint, Android Authority, Tom’s Guide e XDA Developers