NotíciasGionee distribui malware em 21 milhões de celulares

Felipe Marsola Monteiro3 meses atrás5 min

A fabricante chinesa de smartphones Gionee foi condenada por distribuir um malware que chegou a afetar mais de 21 milhões dos seus produtos. O golpe aconteceu através de um trojan (cavalo de troia) que a empresa incluiu em uma atualização em um dos seus apps entre dezembro de 2018 e outubro de 2019. De acordo com a sentença, o intuito foi o de roubar dinheiro dos usuários.

Tudo ocorreu de forma discreta, sem usar links maliciosos ou qualquer meio similar. O app Story Lock Screen é um recurso que troca as imagens da tela de bloqueio, de forma similar aos Stories. Até aí, nada de anormal. Porém, no final do ano de 2018, o aplicativo uma atualização que passou despercebida. Além disso, a atualização não tinha como ser cancelada, já que ocorria de forma forçada e sem conhecimento do usuário.

Após ser atualizado, o app recebia plugins maliciosos com trojans e passava a realizar transações ilegais direcionadas à fabricante, utilizando os métodos de pagamento registrados no celular. Assim, a Gionee conseguiu um montante aproximado de US$ 4,28 milhões com os mais de 21 milhões e 750 mil celulares afetados.

As empresas Beijing Baic Compamny e Shenzen Zhipu Company (que é subsidiária da Gionee) foram as responsáveis por implantar o malware nessa quantidade absurda de celulares. Ambas foram condenadas pela Justiça da China pelo crime de controle ilegal de sistemas de informação digitais. Com a sentença, os seus executivos terão que pagar uma multa no valor de US$ 30.613 e devem cumprir pena de 6 meses de prisão.

Outra empresa espertinha

Por mais que seja assustador, esse não é o primeiro golpe desse tipo, muito pelo contrário. A fabricante Transsion Holdings atuou de forma similar. Responsável por produzir os smartphones das marcas chinesas Tecno e Infinix. As duas marcas contam com produtos conhecidos por seu preço baixo e por serem direcionados aos mercados de países em desenvolvimento.

Uma reportagem do portal Buzzfeed News revelou que os celulares Tecno W1 continham um malware que inscrevia os usuários em serviços pagos fantasma sem seu conhecimento. Além disso, as vítimas tinham suas chamadas interrompidas por pop-ups com propaganda.

Como se proteger?

Muitos ainda têm dúvidas sobre a importância de usar antivírus no smartphone, mas isso é recomendável. A empresa Secure-D, que possui apps do gênero, chegou a registrar 844 mil transações fraudulentas bloqueadas nos modelos distribuídos em países como Etiópia, Camarões, Egito, Gana, Indonésia e Myanmar.

Via GSM Arena.