Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

A Black Friday deste ano poderá ter um sabor amargo para a Amazon. Profissionais de diversos armazéns da empresa ao redor do mundo estão planejando entrar de greve bem no período do mega desconto.

Dentre as requisições dos empregados estão melhores condições de segurança, de pagamento e respeito ao seu direito de organização.

publicidade
Quem participa?

No total, 15 países planejam aderir a essa greve da Amazon, incluindo Estados Unidos, Brasil, México, Índia, Reino Unido e Austrália. O esforço coletivo tem sido marcado pela hashtag #MakeAmazonPay (faça a Amazon pagar).

Por ser uma época de grande movimento de vendas na empresa, é bastante comum também o aumento de acidentes de trabalho e horas extras.

Procurada pelo Engadget, a Amazon divulgou comunicado informando dar apoio integral aos seus colaboradores e comunidade, com condições de segurança laboral e benefícios.

Histórico de greves

Esta não é a primeira vez que a Amazon enfrenta uma greve de seus profissionais. Neste ano, na Alemanha, foram várias as paralisações realizadas.

publicidade

Uma delas, durante o verão, pedia melhores condições de segurança devido à pandemia de COVID-19, outra, em outubro, ocorreu durante o Prime Day, um dos dias de maior aumento de vendas da companhia.

Para esta semana, cerca de três mil alemães que atuam na companhia estão planejando cruzar os braços.

Via Engadget

Foto Sagar Soneji / Pexels